Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Ida de Centeno para o Eurogrupo não está posta de parte e dependerá das eleições alemãs

JOS\303\211 SENA GOUL\303\203O

A entrada de Centeno na corrida dependerá do momento de saída do actual presidente do Eurogrupo, Dijsselbloem

António Costa ainda pode deixar Mário Centeno ir para o Eurogrupo, em substituição do holandês Jeroen Dijsselbloem. Segundo o “Público” esta segunda-feira, esta questão ainda está em aberto dentro do Governo e dependerá de vários fatores, sendo que o principal serão as eleições alemãs marcadas para 24 de setembro.

Neste momento, o Governo trabalha sobre o calendário político europeu. A entrada de Centeno em cena dependerá do momento de saída do actual presidente do Eurogrupo, Dijsselbloem, devido à pesada derrota nas eleições holandesas sofrida pelo seu partido - este não irá integrar a coligação de Governo. De acordo com o matutino, o processo de formação de governo na Holanda poderá demorar quatro ou cinco meses e atirar o debate sobre a substituição do presidente do Eurogrupo para o Outono.

Esta janela temporal deverá jogar a favor de Mário Centeno. Até outubro, deverá ser aprovado o processo de saída de Portugal do Procedimento por Défices Excessivos. Desta forma, o ministro das Finanças português ficará sem constrangimentos de neutralidade, exigida pela presidência do Eurogrupo, para defender os interesses e a posição portuguesa no arranque do processo de reforma da zona euro.

Esta reforma deverá acelerar após as eleições alemãs de 24 de setembro.