Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

“Caixa negra” do Grupo Espírito Santo aparece na lista das transferências não declaradas para paraísos fiscais

Cidade do Panamá

Joe Raedle / Getty Images

O fundo Zyrcan terá tido um papel central entre 2009 e 2011 na compra de títulos de dívida do BES e de financiamento das holdings de topo do GES

O fundo Zyrcan Harthan, gerido pela Eurofin, empresa suíça apontada como a “caixa negra” do Grupo Espírito Santo, e que consta nos ‘Panama Papers’, aparece na lista das transferências não registadas pela Autoridade Tributária que partiram do Banco Espírito Santo, entre 2011 e 2015, período em que o ex-secretário de Estado para os Assuntos Fiscais Paulo Núncio era o responsável pela tutela, conta o “Jornal Económico” esta sexta-feira.

Como o Expresso já havia revelado no ano passado, o fundo Zyrcan terá tido um papel central entre 2009 e 2011 na compra de títulos de dívida do BES e de financiamento das holdings de topo do GES de forma a ajudar a família Espírito Santo a manter o controlo do grupo.

O Zyrcan foi criado no ano 2000 nas Ilhas Virgens Britânicas a pedido da Eurofin, uma companhia de serviços fiduciários fundada em 1999 na Suíça e que tem estado a ser investigada pelas autoridades judiciais em Portugal por estar alegadamente implicada em perdas de 800 milhões de euros para o BES através de “operações fraudulentas”.