Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Carreiras: tal como Teresa Leal Coelho, Medina “também não tinha grande notoriedade”

Mário Cruz/Lusa

Coordenador autárquico do PSD diz que as diferenças entre o autarca de Lisboa e Teresa Leal Coelho são poucas e que a candidata do seu partido tem hipóteses de vencer

Os lisboetas não sabem quem é Teresa Leal Coelho, a candidata do PSD para a Câmara de Lisboa, mas “têm curiosidade” sobre as suas ideias, o que poderá fazer com que mais pessoas possam ir votar em outubro, assume Carlos Carreiras, coordenador autárquico do PSD, em entrevista ao “Público” e à Rádio Renascença esta quinta-feira.

Para Carreiras, as diferenças entre Fernando Medina e Teresa Leal Coelho são poucas. “O atual presidente [Medina], que não foi a eleições, também não tinha grande notoriedade. Ninguém o conhecia. E já era vice-presidente [de António Costa]. Ela é deputada, tem tido uma participação muito grande e muito competente a nível do Parlamento e já tem o seu grau de notoriedade. Uma campanha, naturalmente, vai fazer subir esse grau de notoriedade”, diz.

O dirigente defende ainda que a candidata escolhida pelo PSD para Lisboa “é uma profunda conhecedora da cidade, dos problemas e das oportunidades”. “Nós vamos disputar as eleições, há um potencial muito grande para ir motivar e mobilizar os eleitores – há 55% de abstenção – e o nosso adversário não é o CDS. É o PS”, frisa.

Na mesma entrevista, o coordenador autárquico do PSD recusa a ideia de que o PSD possa estar a começar a questionar a liderança de Pedro Passos Coelho. “Já fiz mais de dez mil quilómetros pelo país, na última contabilidade, contactei todas as estruturas do partido e o que vejo é um PSD bastante mobilizado, unido, com a capacidade de ter os tais argumentos que lhe vão possibilitar ter uma vitória em outubro próximo”, refere.