Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Costa embarga mudanças na Educação devido à proximidade das autárquicas

TIAGO PETINGA / Lusa

O Governo irá avançar com a flexibilização curricular através de um projeto-piloto em apenas 50 escolas do país. Ao embargar a reforma do plano curricular, o primeiro-ministro quer controlar futuros danos políticos

António Costa não quer assuntos polémicos agendados para junto da data das eleições autárquicas, d«que deverão ocorrer em outubro. Segundo relata o jornal “i” esta quarta-feira, a reforma curricular que deveria avançar no próximo ano letivo foi embargada pelo primeiro-ministro, devido à proximidade de datas com as eleições autárquicas.

Tendo em conta as sucessivas críticas das escolas e ainda a indefinição sobre as medidas previstas, quando faltam seis meses para o arranque do novo ano letivo, António Costa quis controlar possíveis danos políticos. De acordo com o matutino, o primeiro-ministro deu instruções ao ministro da Educação Tiago Brandão Rodrigues, para recuar totalmente na reforma, que estava a ser trabalhada pelo secretário de Estado João Costa há um ano.

Estas indicações de Costa surgem já após a apresentação pública do Perfil do Aluno português, onde já vinham explicitadas algumas das medidas da reforma curricular. Em fevereiro, o Expresso também tinha avançado algumas das alterações aos planos curriculares – já este mês, o Governo terá decidido voltar a atrás, depois de ter sido alvo de muitas críticas.

Para não perder a face, a equipa ministerial irá avançar com a flexibilização curricular através de um projeto-piloto em apenas 50 escolas do país. Entretanto, esta decisão foi comunicada verbalmente a alguns diretores de escolas durante uma reunião, confirmou o “i”.