Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Luís Montenegro: se a geringonça cair, pode haver novo Governo sem eleições antecipadas

Líder parlamentar do PSD acusa Marcelo Rebelo de Sousa de ter sido “deselegante” nos comentários feitos sobre as declarações de Teodora Cardoso, presidente do Conselho de Finanças Públicas que classificou de “milagre” o défice de 2,1% alcançado em 2016

Caso o Governo de António Costa caía, ou seja, deixe ter o apoio do Bloco de Esquerda, PCP e Verdes, Luís Montenegro, líder parlamentar do PSD, diz que é possível encontrar outra solução governativa sem que seja necessário convocar eleições antecipadas. Na prática, isto seria uma novidade na democracia portuguesa.

“O quadro parlamentar permite outros ajustamentos, desde que haja vontade política dos partidos. Não lhe estou a dizer que vai haver, nem lhe estou a dizer que estou a contar com isso. Estou a dizer que o quadro deve esgotar-se, para haver eleições antecipadas devem-se esgotar os quadros todos”, defende o líder parlamentar do PSD em entrevista à Antena 1 esta quinta-feira.

Ainda na mesma conversa, Montenegro acusa Marcelo Rebelo de Sousa de ter sido “deselegante” com Teodora Cardoso, presidente do Conselho de Finanças Públicas, que classificou de “milagre” o défice de 2,1% alcançado em 2016. Na semana passada, o Presidente da República respondeu às declarações da economista, dizendo que “milagres, só em Fátima”.

Ainda assim, o social-democrata assume que essa não é a atitude padrão do Presidente da República, ao contrário do Governo e dos partidos que o apoiam. Têm o "padrão de condicionar e restringir a oposição, e eu não calarei a minha voz nunca!", acusa.

Quanto às eleições autárquicas e em particular Lisboa, Luís Montenegro assume que “a cada semana que passa (sem candidato do PSD) se torna mais difícil” ganhar a Câmara mais importante do país. Contudo, acredita que tal ainda seja possível.