Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Marques Mendes quer depor por escrito no caso dos vistos gold

Marques Mendes diz existir “uma orientação muito antiga” do Conselho de Estado no sentido de os seus membros deporem apenas por escrito

Luís Marques Mendes, comentador televisivo e ex-líder do PSD, está disponível para depor em tribunal na qualidade de testemunha no caso dos vistos gold, tal como tinha sido pedido pelo Ministério Público. Porém, as palavras de Marques Mendes só chegarão ao processo por escrito, avança o “Público” esta quarta-feira. O nome do comentador aparece em várias passagens do processo judicial.

Como membro do Conselho de Estado, Marques Mendes vai usar uma prerrogativa que lhe permite não responder presencialmente às perguntas dos juízes, dos advogados e do procurador do processo. Esta terça-feira, o político fez chegar um requerimento nesse sentido ao tribunal. Mesmo assim, para prestar declarações por escrito Marques Mendes ainda depende de uma autorização do Conselho de Estado.

Questionado pelo matutino sobre as razões pelas quais terá optado depor por escrito, Marques Mendes diz existir “uma orientação muito antiga” do Conselho de Estado no sentido de os seus membros deporem apenas por escrito.

Marques Mendes foi sócio de dois dos arguidos do processo dos vistos gold: o ex-ministro da Administração Interna Miguel Macedo e o seu amigo e empresário Jaime Gomes. Teve com eles uma empresa, a JMF - Projects & Business, sediada em Lisboa.