Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

PCP já tinha pedido a Paulo Núncio há dois anos estatísticas de transferências para offshores

josé carlos carvalho

Quando Paulo Núncio foi prestar esclarecimentos aos deputados sobre as diligências feitas pelo Estado em relação ao caso SwissLeaks há dois anos, deputados comunistas pediram os números das transferências para paraísos fiscais. O então secretário de Estado dos Assuntos Fiscais esquivou-se a responder

As dúvidas criadas em volta dos números (vindos a público na semana passada) das transferências para offshores, entre 2011 e 2014, enquanto Paulo Núncio, ex-secretário de Estado do Governo do Passos Coelho, foi responsável pela tutela, vão começar a esclarecidas esta quarta-feira. Além de Paulo Núncio, comparecerá també Fernando Rocha Andrade, atual secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, no Parlamento. Depois, passará pelo interrogatório o ex-presidente da Autoridade Tributária, que já veio a público contradizer a narrativa inicial de Núncio.

Segundo revela o “Público” esta quarta-feira, há dois anos, quando Paulo Núncio foi prestar esclarecimentos aos deputados sobre as diligências feitas pelo Estado português em relação ao caso SwissLeaks, deputados do PCP pediram os números das transferências para paraísos fiscais. A resposta do então governante sobre o valor transferido anualmente não foi conclusiva, tendo-se esquivado em vários momentos.

A principal interrogação a que vai ser preciso dar resposta no Parlamento será o porquê de 20 declarações enviadas pelos bancos – relativas a transferências no valor de 10.000 milhões de euros – não terem sido processadas informaticamente e só agora estejam a ser objeto de controlo por parte da Autoridade Tributária..

O período de envio de fundos em relação ao qual foram detetadas discrepâncias (2011-2014) coincide com o tempo em que a publicação das estatísticas no Portal das Finanças esteve interrompida.