Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Governo quer mais uma mulher na liderança do Banco de Portugal

D.R.

Carlos Costa já entregou ao Governo um nome feminino para ocupar o lugar: Ana Paula Serra, vogal do Conselho de Auditoria do Banco de Portugal, docente na Faculdade de Economia do Porto

O Governo levantou dúvidas sobre um dos três nomes propostos por Carlos Costa para o Conselho de Administração do Banco de Portugal, conta o “Público” esta quarta-feira. Para além disso, o executivo de António Costa pediu ao governador para incluir na lista pelo menos uma mulher, lembrando a questão de quotas de género que estão a ser impostas aos bancos.

Há dois novos lugares prestes a serem deixados vagos no Banco de Portugal pelos atuais vice-governadores, Pedro Duarte Neves e José Ramalho. Mas Carlos Costa quer aproveitar a oportunidade e preencher três.

Neste momento, cadeia de liderança do Banco de Portugal só há uma mulher: a ex-eurodeputada socialista Elisa Ferreira, que chegou ao banco central há menos de um ano já com a rubrica de António Costa.

Segundo o matutino, o Governo terá ficado desagradado com com o facto de dois dos nomes indicados por Carlos Costa terem aparecido na imprensa antes de uma aprovação formal pelo Executivo, criando um clima de tensão entre os dois organismos. O governador terá avançado com três sugestões a António Costa e ao ministro das Finanças: a subida de José Cadete de Matos e Rui Carvalho, atuais directores do departamento de estatística e do departamento de mercado do BdP, respetivamente, chamando ainda Luís Laginha de Sousa, ex-presidente da Euronext.

O Governo não terá ficado convencido com o nome de Rui Carvalho, olhado com pouca confiança em alguns sectores do Executivo. Entretanto, Carlos Costa já entregou ao Governo um nome feminino para ocupar o lugar deste: trata-se de Ana Paula Serra, vogal do Conselho de Auditoria do Banco de Portugal, docente na Faculdade de Economia do Porto.