Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Namorada de um dos fugitivos de Caxias é suspeita de auxílio

Namorada de fugitivo luso-israelita já foi interrogada pelas autoridades policiais e é suspeita de ter colaborado na fuga, ao infiltrar na cadeia a serra de fio

A namorada de Joaquim Bitton Matos, o luso-israelita que fugiu da prisão de Caxias este domingo, juntamente com mais dois chilenos, já foi interrogada pelas autoridades policiais e é suspeita de ter colaborado na fuga, conta o “Correio da Manhã” esta terça-feira. Até ao momento, a investigação indica que os três fugitivos (um já detido) tiveram ajuda no exterior.

Segundo o matutino, a fuga foi planeada ao detalhe: esperaram pelo dia em que havia menos guardas a trabalhar e tiveram acesso a um automóvel que lhes deu um avanço de várias horas.

O fugitivo luso-israelita recebia visitas regulares da namorada desde que foi preso, ao contrário dos dois cidadãos chilenos. A última ocorreu no Dia dos Namorados, quatro dias antes da fuga.

O “CM” garante que a namorada já foi interrogada pelas autoridades policiais. Nada foi encontrado na casa onde vive, mas não está descartada a hipótese de ter contribuído de alguma forma para o sucesso da fuga de Joaquim Bitton Matos e dos dois chilenos. É suspeita de ter passado ao namorado a serra de fio que proporcionou a fuga.

  • Caso da fuga de Caxias dava um filme. Um dos dois chilenos detetado no aeroporto de Madrid acabou por ser libertado por falta de mandado de detenção internacional. O que ficou preso tinha um mandado de expulsão por outro crime em Espanha. O terceiro homem, um luso-israelita, continua em fuga