Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Tribunal confirma apreensão de imóveis a ex-administradores do GES avaliados em €175 milhões

Um dos imóveis apreendidos mais icónicos é a Casa da Saudade, em Cascais, que estava em nome de José Manuel Espírito Santo. Este edifício está avaliado em 234 mil euros

O Tribunal da Relação de Lisboa confirmou na quinta-feira o arresto de vários imóveis de ex-administradores do Grupo Espírito Santo (GES), passados quase dois anos desde que estes tinham sido apreendidos. Ao todo, estes edifícios e terrenos estão avaliados em cerca de 175 milhões de euros, conta o “Jornal de Notícias” esta sexta-feira.

Um dos imóveis apreendidos mais icónicos é a Casa da Saudade, em Cascais, que estava em nome de José Manuel Espírito Santo. O arresto foi levado a cabo pelo Gabinete de Recuperação de Ativos, da Polícia Judiciária há dois anos; quase todos os administradores do ex-GES viram alguns dos seus bens arrestados na época. Segundo o matutino, estão em causa centenas de casas e terrenos.

A decisão comunicada pelo Tribunal da Relação de Lisboa surge como resposta a um recurso interposto pela administração da Casa da Saúde- Administração de Bens de Imóveis S.A., moradia que está avaliada em 234 mil euros.

Esta sociedade procurava desvincular o edifício do nome José Manuel Espírito Santo, ex-presidente do Banco Privée Espírito Santo. Contudo, os juízes concluíram que aquele primo de Ricardo Salgado era o verdadeiro dono do edifício.