Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

As aulas começaram em setembro mas ainda há 25 mil alunos à espera de saber se vão ter bolsa

António Pedro Ferreira

Parte do atraso na atribuição das bolsas será culpa dos próprios alunos – há 6924 processos que foram submetidos sem todas as informações necessárias – e outra parte deverá ser atribuída à plataforma informática da Direcção-Geral do Ensino Superior

Passados quatro meses desde o início do ano letivo de 2016/17, ainda há cerca de 25 mil alunos à espera de saber se serão apoiados para fazerem o seu curso e que ainda não receberam qualquer pagamento, avança o “Público” esta terça-feira. Os dados em que o matutino se baseia foram retirados da plataforma da Direcção-Geral do Ensino Superior (DGES) no dia 30 de dezembro.

Ao todo, mais de 93 mil estudantes do ensino superior candidataram-se a receber uma bolsa de estudo neste ano lectivo, um número 4,2% superior ao do ano anterior – mais 3886 candidatos. Na prática, este aumento deverá fazer com que o total de bolseiros seja, no final deste período escolar, o mais alto desde 2010.

A atendendo à taxa de aprovação (77%) que se tem mantido estável nos últimos anos, é possível que o número de bolsas que serão aprovadas este ano deverá rondar as 72 mil. A confirmar-se, representaria um crescimento de 3000 bolseiros face ao ano letivo passado.

Segundo o “Público”, parte do atraso na atribuição das bolsas será culpa dos próprios alunos – há 6924 processos que foram submetidos sem todas as informações necessárias – e outra parte deverá ser atribuída à plataforma informática da DGES.

Numa nota escrita enviada ao matutino, Ministério da Ciência e Ensino Superior deu ainda outra explicação: os resultados da primeira fase do concurso nacional de acesso foram este ano divulgados uma semana mais tarde do que em anos anteriores, fazendo com que todos os processos que dependem da inscrição dos estudantes de ensino superior tenham sido iniciados mais tarde.