Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Diz-me como te chamas, dir-te-ei se o teu nome está na moda

Rui Ochôa

Em 2016, mais de 1300 raparigas e um número ligeiramente inferior de rapazes foram registados com um nome não partilhado por mais ninguém nesse ano, segundo dados do Instituto dos Registos e do Notariado

Passados três anos, João deixou de ser o nome de rapaz mais escolhido pelos portugueses para os seus recém-nascidos. Os Joões foram ultrapassados pelos Santiagos em 2016, segundo dados do Instituto dos Registos e do Notariado, conta o “Público” esta quarta-feira. Já no feminino, a tradição manteve-se: ainda somos um país de Marias.

No ano passado, segundo dados do Instituto dos Registos e do Notariado, houve 5677 crianças registadas com o primeiro nome Maria, um número três vezes superior ao do 2.º lugar do ranking das raparigas, que pertence a Matilde.

Na verdade, no top dos nomes femininos não houve qualquer alteração face a 2015, apesar de ter havido algumas mudanças de posição dentro deste: Matilde chegou ao 2.º lugar da lista, empurrando Leonor para o 3.º lugar, por exemplo. De resto, os nomes da lista continuam a soar comuns: Carolina, Beatriz, Mariana, Ana, Sofia, Inês e Margarida.

Já no top 10 de nomes de rapazes, há um novo nome: entrou Duarte, que tinha saído da lista em 2015, e saiu Guilherme. Martim desceu da 2ª para a 5ª posição e Francisco subiu ao 3.º lugar, quando no ano passado estava em 5.º, por exemplo. Contudo, a surpresa foi mesmo destronar João como o nome mais comum.

Uma questão de originalidade

Há novas tendências visíveis nos dados do Instituto dos Registos e do Notariado. Lara (escolhida 853 vezes) ultrapassou Joana (escolhida 628 vezes) em 2016. E nomes como Luana, Camila e Letícia aparecem também à frente de Luísa, Isabel ou Bárbara, numa lista que conta com quase 2100 nomes femininos.

Também no ano passado, mais de 1300 meninas e um número ligeiramente inferior de meninos foram registados com um nome que não foi partilhado por mais ninguém nesse ano. Segundo o matutino, aqui encontram-se nomes como Ânia, Edna ou Edegarnia para elas e Alírio, Egídio ou Dárcio – a maior parte são nomes que parecem claramente associados a outras línguas ou outras nacionalidades.