Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

BCP anula cortes salariais de trabalhadores em julho de 2017

Fosun já admitiu que poderia ficar com 30% do BCP, tornando-se assim o maior acionista

Nuno Fox

Desde 2014, os trabalhadores do BCP com remunerações mensais superiores a 1.000 euros sofreram cortes na ordem dos 3% a 11%. Anulação será concretizada desde que todos os CoCos sejam reembolsados ao Estado durante o primeiro semestre de 2017

Se tudo correr bem, o BCP vai anular os cortes salariais dos seus funcionários a 1 de julho de 2017, seis meses antes da data prevista, avança o “Jornal de Negócios” esta sexta-feira. Esta anulação será concretizada desde que todos os CoCos sejam reembolsados até essa data.

Segundo o matutino, esta informação foi veiculada pela Febase, federação que representou o Sindicato dos Bancários do Sul e Ilhas e o Sindicato dos Bancários do Centro, num comunicado enviado às redações.

“Foi conseguido, nesta negociação, a antecipação da reposição dos vencimentos para 1 de Julho de 2017, desde que seja efectuado o pagamento dos CoCo’s no primeiro semestre de 2017, e renovado o compromisso de ser defendido em assembleia-geral do BCP a restituição dos valores que foram retidos aos trabalhadores neste período”, assinala a missiva.

Desde 2014, os trabalhadores da instituição com remunerações mensais superiores a 1.000 euros sofreram cortes na ordem dos 3% a 11%. Esta medida foi sempre encarada como temporária e estando dependente da devolução de todos os CoCos ao Estado.

Tendo em conta que os chineses da Fosun passaram a ser os principais acionistas do banco este ano, este processo irá ganhar novo passo e ao que tudo indica o reembolso ao Estado de 750 milhões de euros em CoCos será feito durante o primeiro semestre de 2017.