Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Governo protege défice e adia recapitalização da Caixa para 2017

tiago miranda

O adiamento da recapitalização da Caixa para a primeira semana de 2017 foi previamente autorizado pelo Banco Central Europeu

Proteger o défice orçamental foi a principal prioridade do Governo neste fim de ano: foi adiada para janeiro a concretização de toda a operação de capitalização da Caixa Geral de Depósitos, avança o “Jornal de Negócios” esta quinta-feira. Esta decisão do Governo deixa o banco do Estado com um nível de solidez abaixo do mínimo exigido durante alguns dias.

O matutino revela que o adiamento da recapitalização foi previamente autorizado pelo Banco Central Europeu. Na prática, a recapitalização foi adiada por uma semana: da última de 2016 para a primeira de 2017. Em causa estará a conversão em capital de 900 milhões de euros de instrumentos de capital contingente ("CoCos"), acrescidos de juros vencidos, e a transmissão de 49% da Parcaixa para a CGD.

Com estas medidas, será feito um aumento de capital de pelo menos 1.428 milhões de euros na Caixa. De seguida, será feita uma redução de capital no valor de 6.000 milhões de euros. Segundo um comunicado da CGD a 9 de dezembro, o objectivo é limpar prejuízos acumulados no valor de cerca de 2.800 milhões e criar uma reserva livre de 4.595 milhões.

O executivo de António Costa terá tentado afastar o défice deste ano de qualquer abalo surpresa. Tanto o Conselho das Finanças Públicas e pela própria Comissão Europeia já tinham admitido riscos para o défice, caso a conversão dos CoCos ainda ocorre-se este ano.