Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Portugal perdeu 28 milhões de euros em alimentos

Neste momento, faltam coisas “tão simples como abrir concursos ou regulamentar os mesmos”, disse ao “Jornal de Notícias” uma fonte de uma das instituições parceiras do Fundo Europeu de Auxílio às Pessoas Mais Carenciadas

Em 2016, o Governo perdeu 28 milhões de euros em alimentos do Fundo Europeu de Auxílio às Pessoas Mais Carenciadas (FEAC) porque não executou o programa, que existe desde 2014, conta o “Jornal de Notícias” esta sexta-feira. O executivo de Pedro Passos Coelho também não o fez, mas teve a justificativa de estar em fase de transição de um anterior programa, conseguindo dez milhões por ano.

Neste momento, faltam coisas “tão simples como abrir concursos ou regulamentar os mesmos”, disse fonte de uma das instituições parceiras do Fundo Europeu ao matutino.

“Parece inacreditável que em três anos não tenhamos conseguido executar isto”, disse Manuel Pestana, secretário-geral da Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares, ao “JN”.

No ano passado, o FEAC ajudou cerca de 400 mil portugueses, mas este ano nenhuma verba foi alocada. Questionado pelo “JN”, o ministério da Solidariedade e Segurança Social respondeu que “vai iniciar-se a distribuição alimentar ao abrigo do FEAC em 2017, tendo o ano de 2016 servido para tomar as diligências necessárias a fim de garantir este início”. A mesma informação foi veiculada à Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares numa reunião com a tutela há dois meses.