Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

PSP pode ficar sem um quarto dos seus agentes até 2020

João Carlos Santos

A situação é preocupante principalmente devido ao facto de não haver um planeamento de incorporações que compense as 6300 saídas previstas, adiantam ao “Jornal de Notícias” vários sectores da corporação

Cerca de 6300 elementos da PSP – um quarto do efetivo da força policial – podem deixar a instituição até 2020, através da pré-aposentação ou aposentação, revela o “Jornal de Notícias” esta quarta-feira.

A situação é preocupante, adiantam ao “JN” vários sectores policiais, principalmente devido ao facto de não haver um planeamento de incorporações que compense as saídas. Existe o receio de que as lacunas de agentes possam atingir a área operacional.

Em declarações ao “JN”, a Direção Nacional da PSP confirma os dados recolhidos pelo matutino mas salientou tratar-se apenas de “previsões”. Estas saídas estão enquadradas no novo estatuto da PSP, consagrado no Decreto-Lei Nº243/2015 de 19 de outubro, que flexibiliza o acesso à pré-aposentação. Porém, o elevado número de saídas deve-se ao facto de centenas de polícias estarem há anos à espera para sair e existir agora uma oportunidade.