Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Escapadelas de portugueses na passagem de ano regressam a valores anteriores à crise

DR

Agências e empreendimentos turísticos estão a registar uma procura de programas de reveillon muito superiores a anos anteriores, conta o “Diário de Notícias” esta sexta-feira

Os operadores turísticos e hoteleiros preveem um bom final de ano, avança o “Diário de Notícias” esta sexta-feira, com o número de reservas a voltar a valores anteriores à crise financeira. Ou seja, os portugueses estão a planear a passagem de ano em grande e confiantes na retoma económica.

“Neste ano, no réveillon já devemos regressar a valores pré-crise, se não for, será próximo”, garantiu João Jesus, diretor de vendas do Tivoli para o Algarve, ao “DN”. Ao contrário de anos anteriores, muitos hotéis no sul do país não vão fechar portas na época natalícia. “A maior parte das unidades já não fecha no inverno e a sensação geral é de que a procura será muito forte, com casa cheia”, disse.

Neste momento, a procura é tanta que os preços de programas de réveillon estão a disparar em Lisboa e Porto. Para o grupo Tivoli, as reservas para as duas últimas noites do ano já estão a 30%; a expectativa é que se superem os 80%, “o que será mais 30 pontos percentuais do que no ano passado”.

Muitos portugueses vão também aproveitar o final de ano para sair do país. “O Brasil, que sofreu alguma queda ao longo do ano, também por causa dos Jogos Olímpicos, já está bem acima do ano passado. O número de charters duplicou”, disse Nuno Mateus, vice-presidente da Associação Portuguesa de Agências de Viagens e Turismo (APAVT), ao matutino.

Mas há ainda cidades europeias a captar as atenções dos portugueses: Madrid, Barcelona, Milão, Paris ou Marraquexe, por exemplo, revela a agência Abreu.