Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Museu Berardo vai deixar de ser gratuito

tiago miranda

“Cobrar bilhete vai permitir ao museu dar resposta às suas despesas, às suas necessidades de funcionamento, sem depender tanto do financiamento dos parceiros institucionais”, disse fonte do ministério da Cultura ao “Público”

Foi tornado público esta semana que a coleção Berardo vai ficar mais seis anos no Centro Cultural de Belém. Porém, algo vai mudar: as entradas no museu vão passar a ser pagas, conta o “Público” esta quarta-feira.

A mesma informação já havia sido vinculada pelo ministro da Cultura em entrevista à “TSF” na terça-feira. “Cobrar bilhete vai permitir ao museu dar resposta às suas despesas, às suas necessidades de funcionamento, sem depender tanto do financiamento dos parceiros institucionais”, confirmou fonte do ministério da Cultura ao matutino.

Com o novo acordo do Estado e a coleção Berardo, “a definição do valor do bilhete será feita pela Fundação Berardo, que assume o compromisso de ter pelo menos um dia por semana gratuito”, explicou o gabinete do ministro. Os esquemas de descontos – jovens, idosos, famílias – também deverão ser “semelhantes aos dos museus públicos”.

A assinatura das alterações ao protocolo, que renova um acordo de 2006, será feita esta quarta-feira, às 10h, no CCB entre o ministro da Cultura, Luís Filipe de Castro Mendes, e Berardo. Neste momento, ainda não se sabe ainda quanto deverá receber a fundação do Fundo de Fomento Cultural para o biénio 2017-2018 porque “esse valor só será conhecido depois de aprovado o Orçamento do Estado para o próximo ano”, acrescentou o gabinete de Castro Mendes.