Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Subsídios de parentalidade estão a chegar com dois meses de atraso

Marcos Borga

Segundo o Instituto da Segurança Social, as prestações de parentalidade têm tempo médio de deferimento de 20 dias e de 45 nos subsídios alargados, revela “Diário de Notícias” esta segunda-feira

Há muitas famílias portuguesas a queixarem-se de atrasos de pelo menos dois meses no pagamento dos subsídios de parentalidade – para filhos recém-nascidos -, revela o “Diário de Notícias” esta segunda-feira.

Ao matutino, o Instituto da Segurança Social garantiu que “as prestações de parentalidade, a 30 de setembro, tinham um tempo médio de deferimento de cerca de 20 dias”. Contudo, a mesma instituição disse não saber quanto tempo demoram depois esses montantes a chegar às contas bancárias das famílias.

A Segurança Social admitiu ainda que no subsídio parental alargado - um apoio por um período até três meses após o subsídio parental inicial - que o tempo médio de deferimento dos pedidos a nível nacional é de 45 dias. “Ainda assim, comparando com o período homólogo, o tempo médio de deferimento dos pedidos caiu de uma média nacional de 49 dias para 45 dias”, justificou.

O Instituto da Segurança Social esclareceu também que o subsídio parental alargado é requerido em regra com o subsídio parental inicial, “mas só é pago no final deste, o que influencia o tempo médio de deferimento do mesmo.”