Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

25% dos mortos nas estradas são vítimas de atropelamento

Nuno Fox

O valor está acima da média europeia, que é de 22%. Portugal tem mais de cinco mil acidentes com peões por ano

Helena Bento

Jornalista

Os peões representaram 25% do total das pessoas que morreram em acidentes rodoviários em 2015 (146 mortos em 593 no total), valor acima da média europeia, que é de 22%. Estes números são avançados na edição desta terça-feira do Diário de Notícias, que cita dados Ministério da Administração Interna (MAI).

A principal causa dos acidentes em Portugal é a velocidade excessiva - a percentagem de condutores alcoolizados envolvidos em acidentes com peões é, pelo contrário, reduzida - e a maioria das vítimas mortais de atropelamentos são idosas. Uma em cada duas vítimas tem mais de 65 anos e três em cada cinco são homens, explica João Dias, do Núcleo de Investigação de Acidentes do IDMEC/IST (Instituto de Engenharia Mecânica do Técnico), citado pelo DN. A média anual de atropelamentos no país é de 5108, tendo por base os últimos cinco anos.

Proposta do Plano Nacional de Proteção Pedonal e Combate aos Atropelamento do Governo, elaborada pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária com a colaboração do ISCTE-IUL, prevê que as forças de segurança executem ações de fiscalização da condução sob o efeito do álcool, da velocidade e da utilização do telemóvel nos locais em que ocorreram atropelamentos. O Governo, refere ainda o Diário de Notícias, “pretende contribuir para a diminuição da sinistralidade em meio urbano, que representou 51% do número total de vítimas mortais no ano de 2015”.