Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

CDS vai propor o fim da isenção do IMI para partidos

  • 333

FOTO JOÃO CARLOS SANTOS

A ideia de acabar com a isenção dos partidos já tinha sido falada por Assunção Cristas aquando polémica sobre as isenções do IMI ao património da Igreja Católica. Esta terça-feira, a proposta avança para a Assembleia da República

O CDS vai propor o fim da isenção dos partidos políticos sobre o Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI). Esta terça-feira, o partido liderado por Assunção Cristas vai apresentar um projeto de lei para eliminar esta isenção, revela a Rádio Renascença.

Esta ideia já tinha sido falada pela líder do CDS aquando da polémica sobre as isenções do IMI ao património da Igreja Católica e agora vai avançar mesmo para a Assembleia da República.

É ainda possível que outras dispensas de pagamento sejam discutidas. “Quanto a outras isenções, certamente estaremos disponíveis para, caso a caso, porque cada caso é um caso e tem a sua especificidade avaliar, numa lógica mais global”, diz Nuno Magalhães, líder parlamentar do CDS, em declarações à Renascença.

Nuno Magalhães rejeita ainda a ideia de que esta proposta abra a porta a um discurso demagógico sobre os partidos. “Demagógico é estar a dizer que há um problema de proximidade entre eleitos e eleitores e depois pedir aos cidadãos e às empresas sacrifícios e os partidos não acompanharem”, explica.

Segundo a Renascença, se o projeto do CDS fosse aprovado isso não iria afetar os custos com a sua sede nacional, pois trata-se de um edifício arrendado.