Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

“O PSD pode não ter sabido renovar-se em Lisboa”, diz Carreiras

  • 333

Mário Cruz/ Lusa

Assunção Cristas não deve contar com o apoio do PSD para a sua candidatura a Lisboa. “A haver coligação, será sempre pós-eleitoral”, diz Carlos Carreiras, vice-presidente e coordenador autárquico do PSD, em entrevista à Antena 1

“O PSD pode não ter sabido renovar-se ao longo destes anos, desde que Santana Lopes saiu da Câmara Municipal de Lisboa (CML) para ter outra figura que pudesse apostar”, admite Carlos Carreiras, vice-presidente do PSD e coordenador autárquico do partido, em entrevista à Antena 1 esta quinta-feira.

O PSD deu até ao final de outubro para Santana Lopes decidir se avança. Mas isso não quer dizer que não haja confusão. Foi criada uma “azáfama” propiciada pelo próprio, diz Carlos Carreiras. Mesmo assim, não há boas notícias para Assunção Cristas, que avançou no fim de semana passado com a sua candidatura à capital. “A haver coligação em Lisboa, será sempre pós-eleitoral”, sublinha Carreiras.

Já para o resto do país a situação é diferente. O coordenador autárquico dos sociais-democratas assume que “há uma predisposição maior” do CDS e do seu partido para coligações nas próximas eleições que em 2013. Dito isto, Carlos Carreiras prevê que o número de 91 coligações das últimas eleições autárquicas seja ultrapassado.