Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Inspeção deteta “falhas notórias” na manutenção dos Kamov

  • 333

NUNO ANDRE FERREIRA

Das 99 deficiências detetadas, 64 dizem respeito a falhas no controlo do tempo de vida útil das peças dos helicópteros

Foram detetadas 99 deficiências no controlo da manutenção dos cinco helicópteros Kamov detidos pelo Estado português, avança o “Público” esta segunda-feira. Segundo a Inspeção-geral da Administração Interna, a responsabilidade destas falhas é de três altos dirigentes da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), incluindo o presidente que se demitiu na semana passada.

Existiram “falhas notórias na esfera da gestão da aeronavegabilidade” por parte da ANPC, diz a análise técnica feita pela Inspeção-geral da Força Aérea, num documento do processo a que o matutino teve acesso.

A aeronavegabilidade trata-se do conjunto de procedimentos que garante que durante a vida de uma aeronave esta cumpre os requisitos para operar em segurança.

Das 99 deficiências detetadas, 64 dizem respeito a falhas no controlo do tempo de vida útil das peças dos helicópteros, pondo em causa a sua segurança, indica o mesmo documento. Estas podem “conduzir a situações em que as aeronaves se encontrem a operar sem reunirem as necessárias condições de aeronavegabilidade, ficando desde logo comprometida a segurança do voo”.

Outras 16 falhas diziam respeito ao “controlo ineficaz do processo de manutenção”. Isto terá levado à instalação nos Kamov de componentes que não cumpriam os requisitos exigidos. Foram também detetados problemas na configuração do programa informático que regista ao pormenor todas as ações de manutenção.