Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Governo esperava a reforma de 20 mil trabalhadores da função pública 2016. Até agora, só seis mil pediram

  • 333

Com a saída de 20 mil trabalhadores, o Governo esperava poupar cem milhões de euros

As previsões do Governo eram que até ao final deste ano cerca de 20 mil trabalhadores abandonassem a função pública. Mas essa meta parece ser quase impossível de alcançar, quando faltam três meses para o final do ano. Entre janeiro e setembro, só pediram a reforma seis mil trabalhadores, menos 54% do que em 2015, conta o “Diário de Notícias” esta segunda-feira.

Se no ano passado as saídas de funcionários públicos para aposentação diminuíram 30,5%, a expectativa é que este ano a queda seja ainda mais acentuada. Desde o início do ano, só 6339 trabalhadores do Estado pediram a reforma.

Contudo, as várias alterações à aposentação à função pública – com penalizações de 6% por anos, para quem tiver menos de 66 anos – estão a dissuadir os possíveis interessados. Sendo que para 2017 estão previstos ainda mais agravamentos, a tendência de reforma antecipadas continuará em queda.

Por parte do Governo há a promessa de compensar as pessoas com carreiras contributivas muito longas, que vão além dos 40 anos de descontos. Mas estas vantagens só deverão entrar em vigor em 2017, após a aprovação do Orçamento de Estado

“Há muitos funcionários públicos com carreiras contributivas superiores a 40 anos que estão a aguardar que cheguem as novas regras”, disse José Abraão, secretário-geral do Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública, ao “DN”.

Com a saída de 20 mil trabalhadores, o Governo esperava poupar cem milhões de euros.