Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Fatura conjunta do BPN e do Banif já vai em €5828 milhões

  • 333

DR

Ainda está por contabilizar a intervenção do Estado no Banco Espírito Santo, em 2014. O Governo tem esperanças de ter o empréstimo de 3900 milhões de euros colmatado com a venda do Novo Banco

O Estado sofre as consequências da nacionalização do Banco Português de Negócios todos os anos. Em 2015, segundo um relatório do Tribunal de Contas divulgado na terça-feira, as perdas relativas à instituição, que foi intervencionada em 2008, foram de 590,8 milhões de euros. Somando os números de anos anteriores, o saldo negativo acumulado chega aos 3237,5 milhões de euros, noticia o “Público” esta quarta-feira.

Depois, há ainda as perdas do Banif, que foi alvo de resolução em dezembro do ano passado. Até agora, o Estado já perdeu 2591 milhões de euros com o banco que foi vendido ao Santander. Ao todo, estas duas instituições bancárias – Banif e BPN - já tiveram um custo de 5828 milhões de euros para o Estado.

Nas contas do Banif contabilizam-se: 1766 milhões injetados antes da venda ao Santanter e os 825 milhões que o Estado tinha aplicado no capital do banco em 2013.Depois, há ainda 489 milhões que o Estado emprestou ao Fundo de Resolução. Porém, este último valor o Governo tem expectativas que seja devolvido.

Por contabilizar está ainda a intervenção no Banco Espírito Santo em 2014 – um empréstimo estatal de 3900 milhões -, que o Governo tem esperanças de ser colmatado com a venda do Novo Banco.

E por reembolsar estão os 450 milhões de euros que o Estado tinha registado em despesa com o BPP em 2010, por efeitos da execução de uma garantia bancária. O Governo conta que este valor seja reembolsado em breve, pois deverá precisar dele para baixar o défice do ano que vem.