Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Salário médio subiu 4,5% desde saída da troika

  • 333

A reversão dos cortes salariais para os trabalhadores da Função Pública poderá, por efeito de contágio, ter dado uma ajuda à subida das remunerações dos trabalhadores por conta de outrem

Desde que a troika saiu de Portugal há dois anos, o rendimento salarial líquido dos trabalhadores por conta de outrem subiu 36 euros (+4,55%), conta o “Diário de Notícias” esta terça-feira.

Neste momento, o valor médio do salário nacional encontra-se nos 838 euros por mês – o valor mais alto de sempre. O aumento de rendimentos na casa dos 4,5% deve-se ao incremento do salário mínimo nacional e às portarias de extensão que vieram atualizar as tabelas salariais de uma série de contratos coletivos de trabalho, explica o economista João Cerejeira ao “DN”.

Entre 2014 e 2016, registou-se também uma melhoria das condições do mercado de trabalho, com a subida do emprego, lembra o professor da Universidade do Minho.

Quando a troika saiu de Portugal, durante o primeiro trimestre de 2014, o rendimento mensal era de apenas 802 euros. Ainda no mesmo ano, passos Coelho aumentou o salário mínimo nacional de 485 para 505 euros. António Costa, por sua vez, já em dezembro de 2015 aprovou uma nova subida para 530 euros.

Para além destes aumentos, existe ainda outro fator a contabilizar: a reversão dos cortes salariais para os trabalhadores da Função Pública poderá, por efeito de contágio, ter dado uma ajuda à subida das remunerações dos trabalhadores por conta de outrem.