Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Rendas aumentam 0,5% em 2017

  • 333

O aumento de 0,5% aplica-se a todas as rendas no país cujos contratos não tenham cláusulas em sentido contrário. Para os senhorios procederem à atualização das rendas, têm de notificar o inquilino através de carta registada, com aviso de receção. Na missiva deve ser discriminado o novo valor a pagar

Após dois anos de quase estagnação, as rendas de habitação vão ser atualizadas em torno de 0,5% em 2017, avança o “Jornal de Negócios” esta quinta-feira. A confirmar-se este valor no próximo mês, será o maior aumento desde 2014.

De acordo com o INE, o Índice de Preços do Consumidor registou, em julho, uma variação média nos últimos 12 meses de 0,53%. Será com base neste indicador, mas relativo ao mês de agosto, que vai ser determinado o coeficiente de atualização automática das rendas em Portugal.

Por lei, os valores das rendas estão geralmente sujeitos a atualizações anuais que se aplicam de forma automática em função da inflação.

Como em média a variação entre um mês e outro não costuma ser superior a uma décima, o “Negócios” avança que o aumento deve ser em torno dos 0,5%.

Caso não queiram, os senhorios não são obrigados a aplicar esta atualização das rendas. Para procederem ao aumento de rendas, têm de notificar o inquilino através de carta registada, com aviso de receção. Na missiva deve ser discriminado o novo valor da renda.

Este aumento aplica-se a todas as rendas de Portugal cujos contratos não tenham cláusulas em sentido contrário. Se os contratos forem anteriores a 1990 e tenham sido objeto do mecanismo de atualização extraordinária previsto no Novo Regime de Arrendamento Urbano, ficam isentos desta subida.