Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Metade dos medicamentos vendidos nas farmácias já são genéricos

  • 333

De acordo com um estudo do Infarmed, em quatro anos a venda de genéricos em ambulatório permitiu ao Estado e aos portugueses uma poupança de 232 milhões de euros

Os remédios sem marca – os genéricos – já têm uma quota nacional de 47,4%, conta o “Diário de Notícias” esta segunda-feira. No ano passado, a venda de genéricos subiu 2,5%. Este aumento representa a venda de mais 1,5 milhões embalagens do que em 2014, segundo um estudo do Infarmed.

Entre 2014 e 2015, das 2793 farmácias que existem ao nível nacional 1729 aumentaram o número de embalagens de medicamentos genéricos dispensadas. No ano passado foram vendidas 64 milhões de embalagens, no valor de 461 milhões de euros, quase mais 1,6 milhões de caixas do que em 2014.

Ao nível nacional, existem dez farmácias onde mais de 60% dos medicamentos vendidos são genéricos. A maioria destas localiza-se a sul de Lisboa, nas localidades de Redondo, Mértola, Serpa, Paredes, Almada, Portalegre, Seixal, Cinfães, Trofa e Tavira. Mais de 700 farmácias também têm uma quota de venda de genéricos acima dos 50%.

De acordo com o Infarmed, em quatro anos, a venda de genéricos em ambulatório permitiu ao Estado e aos portugueses uma poupança de 232 milhões de euros. De 2011 a 2015, o Serviço Nacional de Saúde terá poupado 143 milhões de euros e os utentes 89 milhões.