Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Hugo Soares: “Pelo andar da carruagem, não acredito que o Governo chegue ao fim”

  • 333

José Coelho/ Lusa

Hugo Soares, coordenador dos deputados do PSD na comissão de inquérito à Caixa Geral de Depósitos, acusa Mário Centeno de estar a gerir do processo de nomeação da nova administração do banco do Estado “com os pés, como um elefante numa loja de porcelanas”

“É bom que se acabe com a ideia que o PSD é uma espécie de Velho do Restelo que quer que tudo corra mal. Não queremos que tudo corra mal. Mas, naquilo que entendemos que é fundamental, a governação está errada — isso não pararemos de denunciar.” Esta é a mensagem que Hugo Soares, ex-líder da JSD, em entrevista ao “Público” esta quinta-feira, quer passar aos portugueses. Mas isto não quer dizer que o social-democrata espera que António Costa venha mesmo a cumprir os quatro anos de legislatura. “Pelo andar da carruagem, não creio que chegue ao fim”, diz.

Hugo Soares, coordenador dos deputados do PSD na comissão de inquérito à Caixa Geral de Depósitos, acusa o ministro das Finanças de estar a gerir do processo de nomeação da nova administração do banco do Estado “com os pés, como um elefante numa loja de porcelanas”. Mais: “Se o PSD não tivesse requerido a comissão de inquérito [à gestão da Caixa Geral de Depósitos], ela não existiria”, diz.

A atuação do ministro das Finanças tem sido inconsequente, ao não esclarecer se a consultora Mckinsey está (ou irá) a assessorar António Domingues, novo administrador da Caixa, na recapitalização do banco, diz.

Mário Centeno, “assumindo que a Mckinsey está a assessorar António Domingues e dizendo que neste momento não é a Caixa nem o Estado que está a pagar, está a dizer que será o Estado e os portugueses a pagarem. E sem contrato. Já vimos este filme com a contratação de Diogo Lacerda Machado. Parece que é uma prática recorrente deste Governo: ter consultoras e escritórios de advogados a trabalhar e depois o povo português pagará”, disse ao “Público”.

O ministro das Finanças já negou no Parlamento que “de momento” os serviços da Mckinsey tivessem sido contratados. O ex-líder da JSD diz que, de qualquer forma, o PSD vai enviar uma pergunta ao primeiro-ministro para ver se é verdade que a Mckinsey está a assessorar António Domingues. E, se estiver, quem está a pagar. “É essa expressão, ‘de momento’, que nos deixa em estado de alerta. Se o ministro mostra essa incompetência e irresponsabilidade, estou certo de que o primeiro-ministro não deixará o Parlamento sem resposta”, explicou Hugo Soares.