Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Acusação a Sócrates pode não ocorrer dentro do prazo limite, diz diretor do DCIAP

FOTO RUI DUARTE SILVA

José Sócrates irá dar uma conferência de imprensa às 10h30 da manhã para falar sobre estas declarações do líder do DCIAP

Quinze de setembro foi a data-limite fixada pela Procuradoria-Geral da República para ser emitido um despacho de acusação ao ex-primeiro-ministro José Sócrates no âmbito da Operação Marquês. Contudo, neste momento, ainda não é possível assegurar que esse prazo venha a ser cumprido, disse Amadeu Guerra, diretor do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), em entrevista à “SIC” na quarta-feira à noite.

“Vamos ver. Vamos aguardar até 15 de setembro. Ainda falta algum tempo. A data está fixada. Ninguém mais do que nós pretende dar o despacho final neste processo”, assumiu Amadeu Guerra.

Durante a entrevista, o diretor do DCIAP contestou a ideia que não haja indícios contra o José Sócrates e daí os sucessivos atrasos na acusação. “Os resultados dos tribunais superiores falam por si”, disse. Mais: há juízes que “confirmam a existência de indícios [de crime]”, explicou.

Estas afirmações por parte do líder do DCIAP já mereceram críticas de João Araújo, um dos advogados do ex-primeiro-ministro, que participou num debate sobre a Operação Marquês na "SIC" na quarta-feira à noite.

Entretanto, já foi anunciado que José Sócrates irá dar uma conferência de imprensa às 10h30 da manhã desta quinta-feira, para falar sobre estas declarações.