Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Posse da nova direção da CGD já tem luz verde dos reguladores

  • 333

MUDANÇAS. José de Matos está de saída da Caixa Geral de Depósitos

Jose Carlos Carvalho

Todos os 19 elementos da nova administração foram escolhidos por António Domingues, o futuro CEO da Caixa. Grupo inclui dois gestores não-executivos de nacionalidade estrangeira

Do que depende do Banco de Portugal e do Banco Central Europeu, está tudo pronto. O nome dos futuros 19 administradores-executivos e não-executivos da CaixaGeral de Depósitos já "recebeu luz verde, embora informal", dos reguladores, que não levantaram dúvidas nem objeções, conta o “Diário de Notícias” esta sexta-feira.

A tomada de posse da nova direção ainda não tem data marcada e, até chegar lá ainda há uma série de exigiências a cumprir, mas o processo poderá ficar resolvido em breve.

Todos os 19 elementos da nova administração foram escolhidos por António Domingues, o futuro CEO da Caixa. Sete têm responsabilidades executivas e estarão incorporados na gestão diária do banco, Os restantes irão fiscalizar o trabalho que é feito, dividindo-se por várias comissões, conta o “DN”. Para além de gestores portugueses, há dois administradores não-executivos estrangeiros.

Por regra, a Caixa recebe do acionista Estado a composição dos novos órgãos sociais. A seguir, a comissão de avaliação do banco público pronuncia-se sobre a proposta avançada pelo ministro das Finanças. Daqui o processo segue, finalmente, para o Banco de Portugal, que estabelece a ponte com o Bnco Central Europeu, que tem a última palavra na aprovação final da equipa de gestores.

De forma a agilizar o processo numa altura em que a CGD está sem liderança desde a semana passada e terá de passar por uma operação de capitalização, foram já feitos contactos informais com o BCE, de forma a assegurar que os nomes propostos respondiam às exigências do regulador. Todos os nomes foram aceites, o que deverá ajudar a acelerar a tomada de posse da nova equipa depois de José Matos, cujo mandato terminou no final de 2015, ter apresentado uma carta de demissão a 21 de junho, o que deixou a Caixa sem liderança num momento crítico.

Entre os nomes já conhecidos da nova equipa liderada por António Domingues estão Leonor Beleza, Bernardo Trindade, Pedro Norton, Tiago Ravara Marques e João Tudela Martins.