Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Posse da nova direção da CGD já tem luz verde dos reguladores

MUDANÇAS. José de Matos está de saída da Caixa Geral de Depósitos

Jose Carlos Carvalho

Todos os 19 elementos da nova administração foram escolhidos por António Domingues, o futuro CEO da Caixa. Grupo inclui dois gestores não-executivos de nacionalidade estrangeira

Do que depende do Banco de Portugal e do Banco Central Europeu, está tudo pronto. O nome dos futuros 19 administradores-executivos e não-executivos da CaixaGeral de Depósitos já "recebeu luz verde, embora informal", dos reguladores, que não levantaram dúvidas nem objeções, conta o “Diário de Notícias” esta sexta-feira.

A tomada de posse da nova direção ainda não tem data marcada e, até chegar lá ainda há uma série de exigiências a cumprir, mas o processo poderá ficar resolvido em breve.

Todos os 19 elementos da nova administração foram escolhidos por António Domingues, o futuro CEO da Caixa. Sete têm responsabilidades executivas e estarão incorporados na gestão diária do banco, Os restantes irão fiscalizar o trabalho que é feito, dividindo-se por várias comissões, conta o “DN”. Para além de gestores portugueses, há dois administradores não-executivos estrangeiros.

Por regra, a Caixa recebe do acionista Estado a composição dos novos órgãos sociais. A seguir, a comissão de avaliação do banco público pronuncia-se sobre a proposta avançada pelo ministro das Finanças. Daqui o processo segue, finalmente, para o Banco de Portugal, que estabelece a ponte com o Bnco Central Europeu, que tem a última palavra na aprovação final da equipa de gestores.

De forma a agilizar o processo numa altura em que a CGD está sem liderança desde a semana passada e terá de passar por uma operação de capitalização, foram já feitos contactos informais com o BCE, de forma a assegurar que os nomes propostos respondiam às exigências do regulador. Todos os nomes foram aceites, o que deverá ajudar a acelerar a tomada de posse da nova equipa depois de José Matos, cujo mandato terminou no final de 2015, ter apresentado uma carta de demissão a 21 de junho, o que deixou a Caixa sem liderança num momento crítico.

Entre os nomes já conhecidos da nova equipa liderada por António Domingues estão Leonor Beleza, Bernardo Trindade, Pedro Norton, Tiago Ravara Marques e João Tudela Martins.