Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Verdes apresentam proposta com tetos limites para ordenados de gestores

  • 333

Os vencimentos deverão ter “como referencial e limite máximo” para os vários administradores “os valores mais elevados da tabela dos vencimentos aplicada aos seus trabalhadores”, refere o projeto de lei que vai ser apresentado pelos Verdes

Os Verdes vão entregar esta quinta-feira na Assembleia da República uma proposta de lei, que sugere que os ordenados dos membros da administração dos reguladores passem a ter como teto máximo os salários mais altos já praticados naquelas entidades, conta o “Público”.

O primeiro-ministro e o governador do Banco de Portugal são exemplos. Caso esta nova lei seja aprovada, nenhum trabalhador público poderá vir a receber mais do que ambos. Os vencimentos deverão ter “como referencial e limite máximo” para os vários administradores “os valores mais elevados da tabela dos vencimentos aplicada aos seus trabalhadores”, refere o projeto de lei a que o “Público” teve acesso.

A esse valor, poderá ainda ser acrescentado um complemento na ordem dos 40% sobre a remuneração, como despesas de representação. Com esta regra, “garante-se que a discrepância entre os vencimentos dos trabalhadores e dos administradores não se traduz em excessos”, asseguram os Verdes.

“Há um regabofe com cartões de crédito, carros e vias verdes que tem de acabar”, lembra José Luís Ferreira, deputado dos Verdes, ao “Público”. Segundo o matutino, esta proposta de lei deverá ainda reunir o apoio do Bloco de Esquerda, que também entregou uma proposta de alteração à lei que fixa como limite máximo para os vencimentos dos reguladores e gestores públicos.