Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Sindicato dos Médicos queixa-se de consulta do turista ser “propaganda”

  • 333

© Hugo Correia / Reuters

O presidente da ARS Algarve admite que “faltam 100 médicos no Centro Hospitalar do Algarve”, mas diz que brevemente vai decorrer um concurso para o preenchimento de 60 vagas. Este concurso só deverá estar concluído em setembro, época em que a grande maioria dos turistas já foram embora do país

A partir de segunda-feira, 4 de julho, alguns centros de saúde no litoral de Portugal vão passar a ter a consulta do turista. Na prática, o que isto significa é que estes postos de saúde vão alargar os seus horários de funcionamento ao período noturno, de forma a conseguir absorver o fluxo de turistas que estejam de visita na região e evitar sobrecarregar outros serviços.

Contudo, esta iniciativa, que partiu do Ministério da Saúde, não é consensual. Para o Sindicato Independente dos Médicos, trata-se de “propaganda”, conta a “TSF” esta sexta-feira.

“Esta consulta é um ato de propaganda quando o que se verifica é uma notória falta de médicos”, queixa-se o Sindicato Independente dos Médicos, num comunicado publicado na página do grupo.

Ao todo, serão 12 os centros que vão alargar os seus horários de funcionamento para atender as pessoas estrangeiras que estejam de visita a Portugal e que possam precisar de cuidados médicos. Neste momento, o novo horário destes centros ainda não é conhecido.

"Será uma consulta para situações menores", esclareceu Moura Reis, presidente da Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve, em declarações à “TSF”. Caso a situação do “turista” seja mais grave, será encaminhado para um hospital.

O presidente da ARS Algarve admite ainda que "faltam 100 médicos no Centro Hospitalar do Algarve", mas diz que brevemente vai decorrer um concurso para o preenchimento de 60 vagas. Este concurso só deverá estar concluído em setembro.