Siga-nos

Perfil

Expresso

Regiões

EN 229 motiva alertas dos autarcas do concelho

O ministro das Obras Públicas, Mário Lino, vai ser questionado sobre o andamento do projecto de intervenção da EN229 e que tipo de ligação do Sátão à A25 está a ser equacionada.

Ana Filipa Rodrigues/Jornal do Centro

O presidente da Assembleia Municipal Almeida Henriques vai questionar o Governo quanto às obras de requalificação da Estrada Nacional 229, cujo início tinha sido previsto para o primeiro trimestre de 2007. A interpelação do, também, deputado na Assembleia da República, surge depois do registo de mais um grave acidente na estrada que liga Viseu ao Sátão. No domingo, dia 23, uma colisão frontal entre duas viaturas, na recta da Barraca, fez dez feridos, três deles em estado grave.

Durante a assembleia municipal, o autarca da freguesia de Cota, Joaquim Polónio, chamou a atenção dos deputados para "o estado de degradação" da estrada e alertou para os "inúmeros acidentes" ocorridos na ligação. "Não há um único dia em que os bombeiros não tenham de socorrer vítimas naquela estrada. Até hoje, nada foi feito e acabámos de ser confrontados com 10 feridos de uma só vez", afirma.

A curva do "Fojo", que se situa junto ao cruzamento de Cavernães e à recta da Barraca foi classificada pelo autarca como um "ponto negro" do acesso. "Os buracos deixaram de ser tapados, a estrada mais parece a antiga calçada à portuguesa", sublinha.

A EN 229 é a "via com mais sinistralidade em Viseu" e o "actual traçado não sofre qualquer alteração há longos anos". Segundo o comunicado de Almeida Henriques, "em 2005, a Direcção de Estradas reconhecia a urgência da requalificação" da via de acesso, o projecto de intervenção era dado com concluído em 2006 e o Governo assumia que o concurso avançaria até Março de 2007.

Os autarcas presentes na Assembleia Municipal apelaram à mobilização dos deputados com assento parlamentar para pressionarem o Governo a iniciar as obras de requalificação.