A entrevista que interessa: Malik explica porque deixou os One Direction (envolve caminhos desviantes, diz ele)

Anterior
Respostas para quem está a pensar abrir um negócio (vídeo)
Seguinte
Como tornar-se consultor independente
Página Inicial   >  Blogues  >  Blogues Economia  >  VIPP (Valorização da Imagem Pessoal e ...  >  Recomendações para Jovens Empresários (entrevista)

Recomendações para Jovens Empresários (entrevista)

Conheça aqui o perfil do empresário de sucesso, bem como conselhos para criar um negócio, apoios existentes, áreas de investimento com potencial e recomendações para enfrentar a crise.
|
Manuel Teixeira, Presidente da Comissão Executiva da ANJE

No seguimento de várias questões e inquietações que tenho sentido nos jovens empresários e nos que pretendem empreender, decidi entrevistar Manuel Teixeira, Presidente da Comissão Executiva da ANJE (Associação Nacional de Jovens Empresários). 

AS - Que conselhos daria a um jovem que pretende criar o seu negócio?

MT - Para vencer no mundo dos negócios é necessário conhecer muito bem o mercado onde se pretende operar, detectar as oportunidades que este proporciona, perceber como podem ser minorados os riscos inerentes ao investimento e estabelecer, desde logo, um caminho inovador para alcançar os objectivos desejados. Ora, tudo isto pressupõe que o empreendedor esteja dotado de conhecimento que lhe permita dominar, inovadora e proficientemente, as diversas variáveis envolvidas no negócio.   Os passos essenciais para criar um negócio são aferir se o mercado necessita do produto ou serviço que se pretende desenvolver; elaborar um plano de gestão; efectuar o levantamento da legislação aplicável ao negócio; elaborar um orçamento; criar um Plano de Negócios; avaliar as possibilidades de financiamento do projecto; colocar a ideia de negócio em prática.A actual crise económica obriga, por seu turno, os promotores de novos negócios a ponderar melhor o montante do investimento inicial, a definir desde logo uma política de controle de custos, a depender menos do crédito bancário, a reposicionar produtos/serviços tendo em conta a redução da procura, a estabelecer parcerias estratégicas e a trabalhar mais em rede.  

AS - Que apoios existem para criar o próprio negócio?

MT - Há um conjunto vasto de apoios públicos para a criação e expansão de empresas, destacando-se neste âmbito os sistemas do QREN (SI I&DT - Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico nas Empresas; SI Inovação - Incentivos à Inovação; SI Qualificação PME - Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME), os programas FINICIA e MODCOM (Comércio), os Incentivos Fiscais e a linha de crédito PME Investe. Depois, existem mecanismos de financiamento como o capital de risco, o microcrédito, os business angels, o mutualismo e o tradicional crédito bancário.  Para promover a criação de empresas, a ANJE tem ao dispor dos jovens empreendedores portugueses um variado conjunto de instrumentos: o Prémio do Jovem Empreendedor (prize money de €19.500); uma linha de microcrédito em conjunto com a CGD (montante máximo de empréstimo para a criação de pequenos negócios de 50 mil euros); a parceira com a Plataforma Finicia - Eixo II (Negócios Emergentes de Pequena Escala) para as regiões do Minho, Grande Porto e Algarve; apoios à materialização de ideias de negócio (Centro de Ideias, Escola de Empreendedores, Programas de Formação em Empreendedorismo, BEEP - Bolsa de Estudantes de Elevado Potencial, etc.); uma vasta rede de Centros de Incubação de Empresas (Trofa, Maia, Matosinhos, Barcelos, Porto, Lisboa, Aveiro e Faro); acompanhamento especializado de negócios pela Academia dos Empreendedores. 

AS - Quais as áreas de investimento com maior potencial?

MT - Potencialmente, todas as áreas de investimento são rentáveis desde que se compreendam as tendências do mercado. Mas os negócios do futuro passam, necessariamente, pela conversão do conhecimento em valor empresarial, o que se convencionou designar por inovação. As Ciências da Saúde, as Actividades Marítimas, as Energias Renováveis, as Tecnologias de Informação e Comunicação, as Indústrias Criativas, a Fileira da Moda e o Turismo, por exemplo, são áreas bastante atractivas para a criação de negócios em Portugal. Isto porque o país dispõe, nestas áreas, de recursos humanos muito qualificados, tecnologia, conhecimento avançado, condições naturais favoráveis e tradição empresarial.   A título de exemplo, direi que a Fileira do Mar encerra inúmeras potencialidades de investimento. Não me refiro apenas às actividades mais tradicionais, como a pesca, a construção e reparação naval, a indústria conserveira, o turismo, os transportes marítimos ou a gestão portuária. Refiro-me também a actividades mais recentes e que têm vindo a emergir com grande dinamismo, como a aquacultura, a biotecnologia marítima, as energias renováveis, a preservação dos recursos marinhos, o ordenamento das regiões costeiras, a química ambiental ou as tecnologias de observação submarina. 

AS - Como é que os empresários podem enfrentar a crise?

MT - A crise pode abrir portas não só a negócios adequados ao "espírito do tempo" (produtos ou serviços com boa relação preço/qualidade, que aumentam a auto-estima do consumidor e/ou são verdadeiramente utilitários) como a projectos empresariais inovadores, criativos e de valor acrescentado. Ou seja, projectos que, pela via da inovação, contornam as dificuldades impostas pela crise e por isso são bem sucedidos.Por outro lado, a crise obriga as empresas a reduzir custos, a ponderar melhor alguns investimentos, a viver menos dependentes do financiamento externo, a reposicionar produtos ou serviços, a estabelecer parcerias e a gerar sinergias internas. Tudo isto pode, de facto, ser positivo para o futuro dessas mesmas empresas.Como existe menos dinheiro disponível, os consumidores tendem hoje a ser mais selectivos nas suas compras. Procuram sobretudo produtos/serviços de utilidade imediata e inequívoca e com boa relação preço/qualidade, durabilidade comprovada, factores de diferenciação e capacidade para gerar emoções (designadamente, estimular a auto-estima num momento difícil como o que estamos a viver). Neste sentido, os investidores têm de perceber o actual funcionamento do mercado. Isso implica antever as atitudes de quem compra (o que está subjacente à decisão de adquirir um produto/serviço) mais do que elaborar sofisticadas estratégias de venda.       

AS - Qual o perfil do empresário de sucesso?

MT - As características que definem um empresário ou empreendedor com potencial de sucesso (embora este conceito seja muito relativo) são: coragem para arriscar, determinação, vontade de superação, capacidade de decisão, espírito de liderança, criatividade, organização, entre outros atributos conhecidos. Deve acrescentar-se que hoje, para se ser empreendedor, já não basta ter boas ideias e voluntarismo em doses generosas. Actualmente, quem se abalança na criação e gestão de empresas necessita de ter qualificações que lhe permitam enfrentar os desafios decorrentes da transição de uma sociedade industrial para uma sociedade do conhecimento. O novo paradigma de desenvolvimento exige empreendedores que encarem o mercado como global; empreendedores que sejam criativos e inovadores; empreendedores que dominem as tecnologias de informação e comunicação, bem como o inglês enquanto língua franca; empreendedores que apostem na inovação, investigação e desenvolvimento; empreendedores que não esqueçam as suas responsabilidades sociais, assim como os seus deveres de preservação ambiental.

Quando o mail toca

Este espaço também é seu! Se quiser sugerir temas, envie as suas propostas para ana.santiago.lopes@gmail.com .

Seja bem-vindo/a ao VIPP!

Quem é Ana Santiago? Conheça a autora do blogue VIPP

Opinião


Multimédia

Edwin. O rapaz que aprendeu a sonhar

O que Edwin sabia sobre a vida era sobreviver. Na cabeça dele não cabiam sonhos e os dias eram passados à procura de comida para ele e para a mãe e para o irmão. A fome espreitava nos cantos da barraca de palha no Quénia e ele escondia-se dela como podia - chupar as pedras era uma forma de a enganar. Mas a sorte dele mudou porque alguém viu nele outra coisa. E tudo começou numa dança. Agora, os mesmos dedos que agarravam as pedras tocam hoje teclas de um piano Bechstein. E os pés dele já não estão nus mas calçados. Com chuteiras. Primeiro no Benfica, agora no Estoril, o miúdo de 15 anos que fala como gente grande descobriu que tinha um sonho: ser futebolista. Como Drogba.

Em três quartos de hora não se esquece só a idade. "Esquece-se o mundo"

Maria do Céu dá três voltas ao lar sempre que pode. Edviges vai a todos os velórios, faz hidroginástica e sopas de letras. António dá um apoio na Igreja e nos escuteiros. Tudo é uma ajuda para passar os dias quando se tornam todos iguais. No Pinhal Interior Sul, a região mais envelhecida da União Europeia, quase um terço da população tem mais de 65 anos. Os mais velhos ficaram, os mais novos partiram.

Profissão: Sniper

O Expresso foi ver como são selecionados, que armas usam, para que missões estão preparados os snipers da Força de Operações Especiais do Exército. São uma elite dentro da elite. Um pelotão restrito. Anónimo. Treinam diariamente com um único objetivo: eliminar um alvo à primeira, mesmo que esteja a centenas de metros. Humano ou material. Sem dramas morais, dizem.

Xarém com conquilhas

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione com esta nova receita.

O que se passa dentro da cabeça dele

O que leva um tipo a quem iam amputando uma perna a regressar ao sítio onde os ossos se desfizeram, uma e outra vez, e testar os limites do seu corpo? Resposta: a busca pelo salto perfeito, que ele diz existir dentro dele e que ele encontrará mais dia menos dia. É a fé e a confiança que o movem e o levam a pular para lá do que é exigido a um campeão olímpico e mundial que não tem mais nada a provar a ninguém - a não ser a ele próprio. Este é um trabalho que publicámos em agosto de 2014, quando o saltador se preparava para os Europeus e falava das metas que tinha traçado para 2015 e 2016: mostrar que não estava acabado. Sete meses depois, provou-o no Europeu de pista coberta em Praga, onde venceu este fim de semana.

Amadeu, que aprendeu o mundo no campo e tinha o coração na ponta dos dedos

Em Portugal, a dedicação à língua mirandesa tem nome próprio: Amadeu Ferreira, o jurista da CMVM que - quando todos diziam que "era uma loucura impossível" - arranjou tempo para traduzir "Os Lusíadas", a "Mensagem", os quatro Evangelhos da Bíblia e ainda duas aventuras do Asterix para uma língua que pertence a um cantinho do nordeste português e é falada por menos de 15 mil pessoas. No final de 2014 deu ao Expresso aquela que viria a ser a sua última entrevista. Morreu no passado domingo e esta quinta-feira foi lançada a sua biografia, "O fio das lembranças", com quase 800 páginas.

Temos 16 imagens que não explicam o mundo, mas que ajudam a compreendê-lo

O júri do World Press Photo queria dar o prémio maior da edição deste ano (e talvez das edição todas) a uma fotografia com "potencial para se tornar icónica". A primeira imagem desta fotogaleria, por ser "esteticamente poderosa" e "revelar humanidade", é o que o júri procurava. A fotografia de um casal homossexual russo, a grande vencedora, é a primeira de 16 imagens de uma seleção onde há Messi desolado, migrantes em condições indignas no Mediterrâneo, a aflição do ébola, mistérios afins e etc - são os contrastes do mundo.

Vamos falar de sexo. Seis portugueses revelam tudo o que lhes dá prazer na cama

Neste primeiro episódio de uma série que vai durar sete semanas, seis entrevistados falam abertamente sobre aquilo que lhes dá mais satisfação na intimidade. Sexo em grupo, sexo na gravidez, prazer sem orgasmo e melhor sexo após a menopausa são alguns dos temas referidos nos testemunhos desta semana. O psiquiatra Francisco Allen Gomes explica ainda a razão de muitas mulheres fingirem o orgasmo. O Expresso e a SIC falaram com 33 portugueses que deram a cara e o testemunho de como são na cama. Ao longo das próximas sete semanas, contamos-lhe tudo.

Elvis. Gostamos ou não gostamos?

Ele não é consensual, mas é incontornável. Dispunha de penteado majestoso e patilha marota, aparentava olhar matador e pose atrevida. E deixou canções: umas fáceis e outras nem tanto, por vezes previsíveis e às vezes inesperadas, ora gentis ora aceleradas. E ele, Elvis, nasceu em janeiro de 1934 - há precisamente 40 anos, ao oitavo dia. Temos quatro textos sobre o artista: Nicolau Santos, Rui Gustavo, Nicolau Pais e João Cândido da Silva explicam o que apreciam, o que toleram e o que não suportam.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Desfile de vedetas

Saiba tudo sobre os modelos concorrentes ao Carro do Ano 2015/Troféu Essilor Volante de Cristal. Conheça o essencial sobre os 20 automóveis participantes nesta iniciativa, da estética, às características técnicas, do preço ao consumo. A apresentação ficará completa no dia 3 de janeiro.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

Desacelerámos a realidade para observar a euforia da liberdade

Ela, Jacarandá, é algarvia. Ele, Katmandu, é espanhol. São linces e agora experimentam a responsabilidade da liberdade: foram soltos esta terça-feira numa herdade alentejana, próxima de Mértola, eles que saíram de centros de reprodução em cativeiro. Foi inédito: nunca tinha acontecido algo assim em Portugal. Estivemos lá e ensaiámos o slow motion.


Comentários 2 Comentar
ordenar por:
mais votados
Nesta legislatura
Basta ter o cartão rósinha e ser considerado um bom boy, e não é preciso mais recomendações.
O perfil de um empresário de sucesso
O perfil de um empresário de sucesso requer antes de mais muita capacidade de trabalho... o sucesso virá depois, mediante aquilo que cada um for capaz de colocar em prática no mercado, seja qual for a área em que decida apostar. Ninguém deve investir numa área para a qual não possui conhecimentos e fica dependente de requisitos e opiniões técnicas externas ou de pessoas contratadas.
Os apoios mencionados por Manuel Teixeira na entrevista... estão longe de serem reais e servem uma elite empresarial muito pequena e com determinadas características.
Será um erro um empresário começar um negócio pensando em apoios... poderá recorrer a eles, aliás deve... mas jamais ficar dependente deles, porque ficará estagnado.
Comentários 2 Comentar

Últimas

Ver mais
Receba a nova Newsletter
Ver Exemplo

Pub