Anterior
Respostas para quem está a pensar abrir um negócio (vídeo)
Seguinte
Como tornar-se consultor independente
Página Inicial   >  Blogues  >  Blogues Economia  >  VIPP (Valorização da Imagem Pessoal e ...  >   Recomendações para Jovens Empresários (entrevista)

Recomendações para Jovens Empresários (entrevista)

Conheça aqui o perfil do empresário de sucesso, bem como conselhos para criar um negócio, apoios existentes, áreas de investimento com potencial e recomendações para enfrentar a crise.
|
Manuel Teixeira, Presidente da Comissão Executiva da ANJE

No seguimento de várias questões e inquietações que tenho sentido nos jovens empresários e nos que pretendem empreender, decidi entrevistar Manuel Teixeira, Presidente da Comissão Executiva da ANJE (Associação Nacional de Jovens Empresários). 

AS - Que conselhos daria a um jovem que pretende criar o seu negócio?

MT - Para vencer no mundo dos negócios é necessário conhecer muito bem o mercado onde se pretende operar, detectar as oportunidades que este proporciona, perceber como podem ser minorados os riscos inerentes ao investimento e estabelecer, desde logo, um caminho inovador para alcançar os objectivos desejados. Ora, tudo isto pressupõe que o empreendedor esteja dotado de conhecimento que lhe permita dominar, inovadora e proficientemente, as diversas variáveis envolvidas no negócio.   Os passos essenciais para criar um negócio são aferir se o mercado necessita do produto ou serviço que se pretende desenvolver; elaborar um plano de gestão; efectuar o levantamento da legislação aplicável ao negócio; elaborar um orçamento; criar um Plano de Negócios; avaliar as possibilidades de financiamento do projecto; colocar a ideia de negócio em prática.A actual crise económica obriga, por seu turno, os promotores de novos negócios a ponderar melhor o montante do investimento inicial, a definir desde logo uma política de controle de custos, a depender menos do crédito bancário, a reposicionar produtos/serviços tendo em conta a redução da procura, a estabelecer parcerias estratégicas e a trabalhar mais em rede.  

AS - Que apoios existem para criar o próprio negócio?

MT - Há um conjunto vasto de apoios públicos para a criação e expansão de empresas, destacando-se neste âmbito os sistemas do QREN (SI I&DT - Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico nas Empresas; SI Inovação - Incentivos à Inovação; SI Qualificação PME - Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME), os programas FINICIA e MODCOM (Comércio), os Incentivos Fiscais e a linha de crédito PME Investe. Depois, existem mecanismos de financiamento como o capital de risco, o microcrédito, os business angels, o mutualismo e o tradicional crédito bancário.  Para promover a criação de empresas, a ANJE tem ao dispor dos jovens empreendedores portugueses um variado conjunto de instrumentos: o Prémio do Jovem Empreendedor (prize money de €19.500); uma linha de microcrédito em conjunto com a CGD (montante máximo de empréstimo para a criação de pequenos negócios de 50 mil euros); a parceira com a Plataforma Finicia - Eixo II (Negócios Emergentes de Pequena Escala) para as regiões do Minho, Grande Porto e Algarve; apoios à materialização de ideias de negócio (Centro de Ideias, Escola de Empreendedores, Programas de Formação em Empreendedorismo, BEEP - Bolsa de Estudantes de Elevado Potencial, etc.); uma vasta rede de Centros de Incubação de Empresas (Trofa, Maia, Matosinhos, Barcelos, Porto, Lisboa, Aveiro e Faro); acompanhamento especializado de negócios pela Academia dos Empreendedores. 

AS - Quais as áreas de investimento com maior potencial?

MT - Potencialmente, todas as áreas de investimento são rentáveis desde que se compreendam as tendências do mercado. Mas os negócios do futuro passam, necessariamente, pela conversão do conhecimento em valor empresarial, o que se convencionou designar por inovação. As Ciências da Saúde, as Actividades Marítimas, as Energias Renováveis, as Tecnologias de Informação e Comunicação, as Indústrias Criativas, a Fileira da Moda e o Turismo, por exemplo, são áreas bastante atractivas para a criação de negócios em Portugal. Isto porque o país dispõe, nestas áreas, de recursos humanos muito qualificados, tecnologia, conhecimento avançado, condições naturais favoráveis e tradição empresarial.   A título de exemplo, direi que a Fileira do Mar encerra inúmeras potencialidades de investimento. Não me refiro apenas às actividades mais tradicionais, como a pesca, a construção e reparação naval, a indústria conserveira, o turismo, os transportes marítimos ou a gestão portuária. Refiro-me também a actividades mais recentes e que têm vindo a emergir com grande dinamismo, como a aquacultura, a biotecnologia marítima, as energias renováveis, a preservação dos recursos marinhos, o ordenamento das regiões costeiras, a química ambiental ou as tecnologias de observação submarina. 

AS - Como é que os empresários podem enfrentar a crise?

MT - A crise pode abrir portas não só a negócios adequados ao "espírito do tempo" (produtos ou serviços com boa relação preço/qualidade, que aumentam a auto-estima do consumidor e/ou são verdadeiramente utilitários) como a projectos empresariais inovadores, criativos e de valor acrescentado. Ou seja, projectos que, pela via da inovação, contornam as dificuldades impostas pela crise e por isso são bem sucedidos.Por outro lado, a crise obriga as empresas a reduzir custos, a ponderar melhor alguns investimentos, a viver menos dependentes do financiamento externo, a reposicionar produtos ou serviços, a estabelecer parcerias e a gerar sinergias internas. Tudo isto pode, de facto, ser positivo para o futuro dessas mesmas empresas.Como existe menos dinheiro disponível, os consumidores tendem hoje a ser mais selectivos nas suas compras. Procuram sobretudo produtos/serviços de utilidade imediata e inequívoca e com boa relação preço/qualidade, durabilidade comprovada, factores de diferenciação e capacidade para gerar emoções (designadamente, estimular a auto-estima num momento difícil como o que estamos a viver). Neste sentido, os investidores têm de perceber o actual funcionamento do mercado. Isso implica antever as atitudes de quem compra (o que está subjacente à decisão de adquirir um produto/serviço) mais do que elaborar sofisticadas estratégias de venda.       

AS - Qual o perfil do empresário de sucesso?

MT - As características que definem um empresário ou empreendedor com potencial de sucesso (embora este conceito seja muito relativo) são: coragem para arriscar, determinação, vontade de superação, capacidade de decisão, espírito de liderança, criatividade, organização, entre outros atributos conhecidos. Deve acrescentar-se que hoje, para se ser empreendedor, já não basta ter boas ideias e voluntarismo em doses generosas. Actualmente, quem se abalança na criação e gestão de empresas necessita de ter qualificações que lhe permitam enfrentar os desafios decorrentes da transição de uma sociedade industrial para uma sociedade do conhecimento. O novo paradigma de desenvolvimento exige empreendedores que encarem o mercado como global; empreendedores que sejam criativos e inovadores; empreendedores que dominem as tecnologias de informação e comunicação, bem como o inglês enquanto língua franca; empreendedores que apostem na inovação, investigação e desenvolvimento; empreendedores que não esqueçam as suas responsabilidades sociais, assim como os seus deveres de preservação ambiental.

Quando o mail toca

Este espaço também é seu! Se quiser sugerir temas, envie as suas propostas para ana.santiago.lopes@gmail.com .

Seja bem-vindo/a ao VIPP!

Quem é Ana Santiago? Conheça a autora do blogue VIPP

Opinião


Multimédia

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Costeletas de borrego com migas de castanhas

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Strogonoff de peixe espada preto

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Caril de banana

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Cantaril com risotto de espargos

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 


Comentários 2 Comentar
ordenar por:
mais votados
Nesta legislatura
Basta ter o cartão rósinha e ser considerado um bom boy, e não é preciso mais recomendações.
O perfil de um empresário de sucesso
O perfil de um empresário de sucesso requer antes de mais muita capacidade de trabalho... o sucesso virá depois, mediante aquilo que cada um for capaz de colocar em prática no mercado, seja qual for a área em que decida apostar. Ninguém deve investir numa área para a qual não possui conhecimentos e fica dependente de requisitos e opiniões técnicas externas ou de pessoas contratadas.
Os apoios mencionados por Manuel Teixeira na entrevista... estão longe de serem reais e servem uma elite empresarial muito pequena e com determinadas características.
Será um erro um empresário começar um negócio pensando em apoios... poderá recorrer a eles, aliás deve... mas jamais ficar dependente deles, porque ficará estagnado.
Comentários 2 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub