Anterior
"Comer, Orar e Amar": Uma história para muitas mulheres
Seguinte
Reparações caseiras... pagas com sexo
Página Inicial   >  Blogues  >  Blogues Life & Style  >  A vida de saltos altos  >   Qual o instrumento mais adequado para a idade do seu filho? (com vídeo)
Blogue A Vida de Saltos Altos

Qual o instrumento mais adequado para a idade do seu filho? (com vídeo)

Muitos pais querem que os filhos (ainda pequenos) aprendam a tocar um instrumento musical. No entanto, cuidado, pois há idades adequadas para cada instrumento. Saiba quais são.
|
Os talentos começam de muito novos

É natural que muitos pais desejem que os filhos (ainda pequenos)aprendam a tocar um instrumento musical, seja para influenciar positivamente a sua aprendizagem escolar, ou até para se tornarem num futuro Beethoven, quem sabe?

Só que o problema é que nem todas as idades são apropriadas para todos os instrumentos e há o perigo de tornar essa iniciativa numa frustração.

Exactamente por isso, e na tentativa de auxiliar os pais a decidir, elaborei uma lista de instrumentos, bem como as suas especificidades e os porquês da aprendizagem dos mesmos só ser aconselhável a partir de determinada idade.


Conheça a idade de aprendizagem aconselhável para cada instrumento

Piano (dos 3 aos 8 anos)


A idade aconselhável para se aprender a tocar piano pode ir desde dos 3 até aos 8 anos.

Há escolas de música com programas especiais em que você pode aprender a tocar este instrumento ao lado do seu filho para que ele se sinta mais motivado.

Também há professores que são da opinião de que as crianças deviam aprender a ler primeiro, antes de começar as aulas de música.

Deve avaliar a motivação e a maturidade do seu filho nessa faixa etária.

Evidentemente que se o seu filho de 3 anos não mostrar nenhuma motivação para aprender a tocar piano, não deve insistir com a criança.

A melhor parte da aprendizagem do piano para o seu filho ainda muito novo é a capacidade de aprender rapidamente músicas simples, conhecidas e que lhe sejam muito familiares.

Por outro lado, esta aprendizagem estimula a audição e ensina a fixar sequências.

Guitarra (7 anos)


A guitarra é um instrumento de aprendizagem mais difícil do que parece e, por isso mesmo, a idade ideal para a iniciação é de 7 anos.

Há muitas crianças a querer aprender este instrumento e até há guitarras de tamanhos mais pequenos para permitir às mãos, também elas pequenas, uma melhor adaptação.

No entanto, é conveniente que os alunos que aprendam guitarra já possuam uma boa coordenação motora, já que a formação torna-se desconfortável para os dedos até o aluno se acostumar a este instrumento. A criança deve, portanto, já ser capaz de controlar os movimentos mais "rudes", dominando os músculos das mãos com movimentos rápidos e por vezes mais complexos, por serem pouco comuns.

Violino
A cada menino o seu tamanho de violino
(dos 3 anos em diante)


Tal como o piano, a idade mais conveniente para se aprender a tocar violino é a patir dos 3 anos.

Existem programas de aprendizagem para este tipo de instrumento que se assemelham à aprendizagem de uma língua estrangeira.

As crianças muito pequenas começam a aprender a tocar violino com um tamanho à sua medida, no entanto, sempre correspondendo às versões do tamanho real de um violino.

De uma maneira geral, todos os instrumentos de corda exigem dos alunos uma capacidade de sintonização, de forma a conseguirem respostas progressivas até à fluidez do som.

No violiono, as crianças conseguem um melhor resultado com aulas em grupo porque isso as obriga a terem a noção excacta das respectivas falhas nos tons.

Bateria (a partir dos 8 anos)


Tachos e panelas podem ser um ótimo começo para bebés e crianças muito pequenas (os seus vizinhos é que podem não gostar lá muito...)

No entanto, se estiver a pensar comprar um kit completo de bateria para o seu filho, adie a ideia por uns anos. É que só deve investir num instrumento tão caro se a criança realmente mostrar um interesse contínuo e sustentado pelo mesmo.

Os instrumentos de percussão são fantásticos para todas as crianças, uma vez que com eles se estimula uma enorme criatividade de produção de ritmos musicais.

Flauta
O grau de dificuldade de aprendizagem da flauta é superior ao do piano
/Instrumntos de sopro (a partir dos 8 anos)


Já é sabido que muitas mães acreditam que a flauta é um instrumento acessível para a iniciação de uma formação musical infantil.

Acontece que a flauta, assim como quase todos instrumentos de sopro - devido ao controlo da capacidade de respiração pulmonar necessária para produzir sons -, dá à aprendizagem deste instrumento um grau de dificuldade bem maior do que num piano ou num violino, por exemplo.

Os dedilhados com o vento e os instrumentos de bronze (que exigem força e coordenação motora, fina e delicada) bem como o controlo da respiração, são os aspectos mais difíceis de tocar neste tipo de instrumentos musicais. A flauta de biesel ou a flauta transversal podem ser bons instrumentos secundários, ou seja, o ideal é começar com piano ou o canto, por exemplo, antes de iniciar aulas com a família de instrumentos de sopro.

Voz/ Canto/Coro (dos 8 anos em diante)


Todas a crianças adoram cantar, seja em que idade for. Se notar que o seu filho mostra uma aptidão ou um gosto especial pelo canto, então inscreva-o em aulas de canto ou de coro a partir dos 8 anos.

Até essa idade, incentive-o a improvisar ou a cantar os seus temas favoritos em casa, pois isso será sempre um bom princípio.

As crianças e a música


Saiba que apesar da lista a cima mencionada, o importante a ter em conta é que o seu filho tenha o seu próprio gosto musical definido, independentemente da idade que tem e do que você gostaria que ele tocasse.

Não esqueça também que lhe deve sempre fazer a vontade quando ele lhe pedir para ouvir determinada música.

Pode também pô-lo a ouvir uma mistura de diversos estilos musicais e aí tentar perceber imediatamente em que música ele mais reage vendo, por exemplo, se o sorriso abre mais, no caso de ser ainda bebé.

independentemente da forma como o possa fazer, o ideal é não esquecer que a música é uma arte que ajuda a crescer saudavelmente a todos os níveis, dotando a pessoa que a aprende de uma sensibilidade especial para toda a vida.

Nada melhor que ver uma menina prodígio para fechar o tema


Um talento no piano com apenas seis anos



A Vida de Saltos Altos no Facebook

A Vida de Saltos Altos também está presente no Facebook. Na página desta popular rede social qualquer um pode ser amigo deste blogue. Clique para visitar.



A Vida de Saltos Altos no Twitter

A Vida de Saltos Altos é presença assídua no Twitter, onde estão todos os posts deste blogue. Junte-se às pessoas que aí nos seguem. Clique para visitar.



Opinião


Multimédia

Os assassínios, as execuções, as decapitações são as imagens mais chocantes de uma propaganda cada vez mais sofisticada. É a Jihad, que recruta guerrilheiros no ocidente para matar e morrer na Síria. O Expresso seguiu as pisadas de cinco jiadistas portugueses, mostrando quem são e como foram convertidos e radicalizados. E como lutam, como foram morrer - e como já haverá arrependidos com medo de fugir. Reportagem em Londres, no café onde viam jogos de futebol, na universidade onde estudavam e na mesquita onde rezavam. Autoridades e especialistas em terrorismo estão alerta sobre este pequeno mas perigoso grupo, onde corre sangue português - e de onde escorre sangue por Alá.

Desacelerámos a realidade para observar a euforia da liberdade

Ela, Jacarandá, é algarvia. Ele, Katmandu, é espanhol. São linces e agora experimentam a responsabilidade da liberdade: foram soltos esta terça-feira numa herdade alentejana, próxima de Mértola, eles que saíram de centros de reprodução em cativeiro. Foi inédito: nunca tinha acontecido algo assim em Portugal. Estivemos lá e ensaiámos o slow motion.

Desaparecidos para sempre no Mar do Norte

O dia 15 de novembro já foi feriado, há 90 anos. A razão foi o desaparecimento de Sacadura Cabral algures no Mar do Norte. Depois de fazer mais de oito mil quilómetros de Lisboa ao Rio de Janeiro, o aviador pioneiro não conseguiu completar o voo entre a cidade holandesa de Amesterdão e a capital portuguesa. Ainda hoje, não se sabe o que aconteceu ao companheiro de Gago Coutinho e tio-avô de Paulo Portas, a quem o Expresso pediu um sms.

Os muros do mundo

Novembro relembrou-nos os muros que caem, mas também os que permanecem e os que se expandem. Berlim aproximou-se de si própria há 25 anos, mas há muros que continuam a desaproximar. Esta é a história de sete deles - diferentes, imprevisíveis, estranhos.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Terror religioso está a aumentar

Relatório sobre a Liberdade Religiosa é divulgado esta terça-feira em todo o mundo. Dos 196 países analisados, só em 80 não há indícios de perseguições motivadas pela fé.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.


Comentários 9 Comentar
ordenar por:
mais votados
Re: Qual o instrumento mais adequado para a idade
Excelente, sou músico e achei o texto muito interessante!
Re: Qual o instrumento mais adequado para a idade
referências...precisam-se
A não ser que a Ana Areal tenha um doutoramento em pedagogia musical, convinha dizer de onde veio esta informação. Perguntou aos formadores de música locais? Informou-se junto de investigadores em pedagogia musical? Ou, quer dar a imagem de treinador de bancada que sabe de tudo um pouco?
Guitarra aos 7 anos? veio de onde essa informação? Deu-se ao cuidado de verificar prácticas dentro e fora do país? ou foi só em Lisboa?
Jornalismo de trazer por casa (sem referencias sobre de onde vem a informação), se bem que é bem vinda a atenção dada ao ensino da música. Com um senão s(sem ser elitista) nem todos os instrumentos desenvolvem igualmente as capacidades motoras e cognitivas--mas para isso é importante que o público se informe junto de pedagogos e investigadores sérios, não deste jornalismo pouco esclarecido.
Re: referências...precisam-se
Re: referências...precisam-se
Pobre texto...
Este texto foi escrito por alguém que, nada percebendo do assunto, não se preocupou, no mínimo, em pedir revisão do mesmo. Está cheio de incorrecções, afirmações não fundamentadas, traduções mal feitas (os dedilhados com vento e os instrumentos de bronze) e imprecisões. Não contém qualquer base científica, mais parecendo uma conversa de café.
Em que se baseia para dizer que: "A guitarra é um instrumento de aprendizagem mais difícil do que parece"? Parece a quem?
E quanto a:"muitas mães acreditam que a flauta é um instrumento acessível para a iniciação de uma formação musical "? É sabido?! Por quem?
Para já não falar em: "dá à aprendizagem deste instrumento (a flauta) um grau de dificuldade bem maior do que num piano ou num violino". Em que se baseia para afirmar isto???? E o que é uma flauta de biesel???
Lamento imenso que o jornal Expresso publique textos de tão fraca qualidade e enquanto professora de música lamento ainda mais que este tema seja tratado com tanta leviandade.
Ana Cláudia (Setúbal)
Re: Pobre texto...
Re: Pobre texto...
Re: Pobre texto...
Comentários 9 Comentar

Últimas


Pub