Anterior
"Comer, Orar e Amar": Uma história para muitas mulheres
Seguinte
Reparações caseiras... pagas com sexo
Página Inicial   >  Blogues  >  Blogues Life & Style  >  A vida de saltos altos  >   Qual o instrumento mais adequado para a idade do seu filho? (com vídeo)
Blogue A Vida de Saltos Altos

Qual o instrumento mais adequado para a idade do seu filho? (com vídeo)

Muitos pais querem que os filhos (ainda pequenos) aprendam a tocar um instrumento musical. No entanto, cuidado, pois há idades adequadas para cada instrumento. Saiba quais são.
|
Os talentos começam de muito novos

É natural que muitos pais desejem que os filhos (ainda pequenos)aprendam a tocar um instrumento musical, seja para influenciar positivamente a sua aprendizagem escolar, ou até para se tornarem num futuro Beethoven, quem sabe?

Só que o problema é que nem todas as idades são apropriadas para todos os instrumentos e há o perigo de tornar essa iniciativa numa frustração.

Exactamente por isso, e na tentativa de auxiliar os pais a decidir, elaborei uma lista de instrumentos, bem como as suas especificidades e os porquês da aprendizagem dos mesmos só ser aconselhável a partir de determinada idade.


Conheça a idade de aprendizagem aconselhável para cada instrumento

Piano (dos 3 aos 8 anos)


A idade aconselhável para se aprender a tocar piano pode ir desde dos 3 até aos 8 anos.

Há escolas de música com programas especiais em que você pode aprender a tocar este instrumento ao lado do seu filho para que ele se sinta mais motivado.

Também há professores que são da opinião de que as crianças deviam aprender a ler primeiro, antes de começar as aulas de música.

Deve avaliar a motivação e a maturidade do seu filho nessa faixa etária.

Evidentemente que se o seu filho de 3 anos não mostrar nenhuma motivação para aprender a tocar piano, não deve insistir com a criança.

A melhor parte da aprendizagem do piano para o seu filho ainda muito novo é a capacidade de aprender rapidamente músicas simples, conhecidas e que lhe sejam muito familiares.

Por outro lado, esta aprendizagem estimula a audição e ensina a fixar sequências.

Guitarra (7 anos)


A guitarra é um instrumento de aprendizagem mais difícil do que parece e, por isso mesmo, a idade ideal para a iniciação é de 7 anos.

Há muitas crianças a querer aprender este instrumento e até há guitarras de tamanhos mais pequenos para permitir às mãos, também elas pequenas, uma melhor adaptação.

No entanto, é conveniente que os alunos que aprendam guitarra já possuam uma boa coordenação motora, já que a formação torna-se desconfortável para os dedos até o aluno se acostumar a este instrumento. A criança deve, portanto, já ser capaz de controlar os movimentos mais "rudes", dominando os músculos das mãos com movimentos rápidos e por vezes mais complexos, por serem pouco comuns.

Violino
A cada menino o seu tamanho de violino
(dos 3 anos em diante)


Tal como o piano, a idade mais conveniente para se aprender a tocar violino é a patir dos 3 anos.

Existem programas de aprendizagem para este tipo de instrumento que se assemelham à aprendizagem de uma língua estrangeira.

As crianças muito pequenas começam a aprender a tocar violino com um tamanho à sua medida, no entanto, sempre correspondendo às versões do tamanho real de um violino.

De uma maneira geral, todos os instrumentos de corda exigem dos alunos uma capacidade de sintonização, de forma a conseguirem respostas progressivas até à fluidez do som.

No violiono, as crianças conseguem um melhor resultado com aulas em grupo porque isso as obriga a terem a noção excacta das respectivas falhas nos tons.

Bateria (a partir dos 8 anos)


Tachos e panelas podem ser um ótimo começo para bebés e crianças muito pequenas (os seus vizinhos é que podem não gostar lá muito...)

No entanto, se estiver a pensar comprar um kit completo de bateria para o seu filho, adie a ideia por uns anos. É que só deve investir num instrumento tão caro se a criança realmente mostrar um interesse contínuo e sustentado pelo mesmo.

Os instrumentos de percussão são fantásticos para todas as crianças, uma vez que com eles se estimula uma enorme criatividade de produção de ritmos musicais.

Flauta
O grau de dificuldade de aprendizagem da flauta é superior ao do piano
/Instrumntos de sopro (a partir dos 8 anos)


Já é sabido que muitas mães acreditam que a flauta é um instrumento acessível para a iniciação de uma formação musical infantil.

Acontece que a flauta, assim como quase todos instrumentos de sopro - devido ao controlo da capacidade de respiração pulmonar necessária para produzir sons -, dá à aprendizagem deste instrumento um grau de dificuldade bem maior do que num piano ou num violino, por exemplo.

Os dedilhados com o vento e os instrumentos de bronze (que exigem força e coordenação motora, fina e delicada) bem como o controlo da respiração, são os aspectos mais difíceis de tocar neste tipo de instrumentos musicais. A flauta de biesel ou a flauta transversal podem ser bons instrumentos secundários, ou seja, o ideal é começar com piano ou o canto, por exemplo, antes de iniciar aulas com a família de instrumentos de sopro.

Voz/ Canto/Coro (dos 8 anos em diante)


Todas a crianças adoram cantar, seja em que idade for. Se notar que o seu filho mostra uma aptidão ou um gosto especial pelo canto, então inscreva-o em aulas de canto ou de coro a partir dos 8 anos.

Até essa idade, incentive-o a improvisar ou a cantar os seus temas favoritos em casa, pois isso será sempre um bom princípio.

As crianças e a música


Saiba que apesar da lista a cima mencionada, o importante a ter em conta é que o seu filho tenha o seu próprio gosto musical definido, independentemente da idade que tem e do que você gostaria que ele tocasse.

Não esqueça também que lhe deve sempre fazer a vontade quando ele lhe pedir para ouvir determinada música.

Pode também pô-lo a ouvir uma mistura de diversos estilos musicais e aí tentar perceber imediatamente em que música ele mais reage vendo, por exemplo, se o sorriso abre mais, no caso de ser ainda bebé.

independentemente da forma como o possa fazer, o ideal é não esquecer que a música é uma arte que ajuda a crescer saudavelmente a todos os níveis, dotando a pessoa que a aprende de uma sensibilidade especial para toda a vida.

Nada melhor que ver uma menina prodígio para fechar o tema


Um talento no piano com apenas seis anos



A Vida de Saltos Altos no Facebook

A Vida de Saltos Altos também está presente no Facebook. Na página desta popular rede social qualquer um pode ser amigo deste blogue. Clique para visitar.



A Vida de Saltos Altos no Twitter

A Vida de Saltos Altos é presença assídua no Twitter, onde estão todos os posts deste blogue. Junte-se às pessoas que aí nos seguem. Clique para visitar.



Opinião


Multimédia

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 

Crumble. A sobremesa mais fácil do mundo

Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida, especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 9 Comentar
ordenar por:
mais votados
Re: Qual o instrumento mais adequado para a idade
Excelente, sou músico e achei o texto muito interessante!
Re: Qual o instrumento mais adequado para a idade
referências...precisam-se
A não ser que a Ana Areal tenha um doutoramento em pedagogia musical, convinha dizer de onde veio esta informação. Perguntou aos formadores de música locais? Informou-se junto de investigadores em pedagogia musical? Ou, quer dar a imagem de treinador de bancada que sabe de tudo um pouco?
Guitarra aos 7 anos? veio de onde essa informação? Deu-se ao cuidado de verificar prácticas dentro e fora do país? ou foi só em Lisboa?
Jornalismo de trazer por casa (sem referencias sobre de onde vem a informação), se bem que é bem vinda a atenção dada ao ensino da música. Com um senão s(sem ser elitista) nem todos os instrumentos desenvolvem igualmente as capacidades motoras e cognitivas--mas para isso é importante que o público se informe junto de pedagogos e investigadores sérios, não deste jornalismo pouco esclarecido.
Re: referências...precisam-se
Re: referências...precisam-se
Pobre texto...
Este texto foi escrito por alguém que, nada percebendo do assunto, não se preocupou, no mínimo, em pedir revisão do mesmo. Está cheio de incorrecções, afirmações não fundamentadas, traduções mal feitas (os dedilhados com vento e os instrumentos de bronze) e imprecisões. Não contém qualquer base científica, mais parecendo uma conversa de café.
Em que se baseia para dizer que: "A guitarra é um instrumento de aprendizagem mais difícil do que parece"? Parece a quem?
E quanto a:"muitas mães acreditam que a flauta é um instrumento acessível para a iniciação de uma formação musical "? É sabido?! Por quem?
Para já não falar em: "dá à aprendizagem deste instrumento (a flauta) um grau de dificuldade bem maior do que num piano ou num violino". Em que se baseia para afirmar isto???? E o que é uma flauta de biesel???
Lamento imenso que o jornal Expresso publique textos de tão fraca qualidade e enquanto professora de música lamento ainda mais que este tema seja tratado com tanta leviandade.
Ana Cláudia (Setúbal)
Re: Pobre texto...
Re: Pobre texto...
Re: Pobre texto...
Comentários 9 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub