17 de abril de 2014 às 22:20
Página Inicial  ⁄  Atualidade / Arquivo   ⁄  Quadro de Paula Rego poderá bater recorde em leilão

Quadro de Paula Rego poderá bater recorde em leilão

A estimativa base da Christie's para "Looking Back" situa-se entre os de €672,6 a €896,8.
Lusa

Um quadro de Paula Rego, avaliado em quase um milhão de euros, vai a leilão na terça feira, em Londres, podendo bater o recorde anterior datado de 2008.

A estimativa base da Christie's para "Looking Back" situa-se entre os 600 mil e os 800 mil libras (de 672,6 mil a 896,8 mil euros), superando as 558 mil libras (740 mil euros, no câmbio da altura), licitadas por "Baying", em 2008, na rival Sotheby's.

O valor deve-se ao significado e importância da tela na vida e carreira da pintora portuguesa, que terminou a obra em 1987, ano em que foi mostrada pela primeira vez em Londres, na galeria Edward Totah.

Relação entre mulheres


O quadro é visto como um estudo ambíguo das relações entre mulheres, mostrando duas figuras femininas reclinadas sugestivamente sobre uma mesa, enquanto uma criança está ajoelhada no chão, junto a um cão.

"Na carreira de todos os artistas famosos há uma exposição que marca a viragem e, para Paula Rego, foi esta", escreveu John McEwen, autor de dois livros sobre o trabalho de Paula Rego, referindo-se à mostra na galeria Edward Totah.

Na opinião de John McEwen, foi nesta exposição que Paula Rêgo "mostrou o controlo total e metafórico do gosto em contar histórias de forma subversiva, que antes tinha sido feito através do uso de animais como personagens".

O catálogo refere o modo como a obra materializa as emoções da artista, numa altura em que o marido, o também pintor Victor Willing, que morreu em 1988, já se encontrava muito doente.

Uma interpretação do quadro encontra, nas figuras da criança e do cão, uma representação da crescente dependência de Willing (o cão) em relação à pintora (a criança), que até então permanecera na sombra do artista inglês.

"Looking Back" foi exposto em Lisboa, na Fundação Gulbenkian e no Museu da Fundação Serralves, no Porto, em 1988, e no Centro Cultural de Belém, em 1997, ano em que Paula Rego mereceu uma retrospetiva no Museu Tate Britain em Liverpool.

O quadro vai a leilão com um conjunto de obras de Kay Saatchi, ex-mulher do colecionador de arte Charles Saatchi, adquirida após uma retrospetiva na Serpentine Gallery, em 1988, em Londres.

Venda é feita com "tristeza"


Divorciados desde 2001, a obra fazia parte da coleção pessoal de Kay, que vai agora vendê-la antes de regressar a Los Angeles após 25 anos a residir na capital britânica.

A venda de algumas das obras da coleção pessoal de Kay Saatchi é feita com "tristeza", mas necessária por "razões práticas", disse num comunicado divulgado em março pela leiloeira Christie's.

Em destaque no mesmo leilão está uma peça do australiano Ron Mueck, "Big Bay", uma escultura de um bebé sentado e nú, símbolo das criações "hiperrealistas" do artista, que é genro de Paula Rego.

Terá sido a pintora portuguesa a apresentar o artista aos Saatchi, que se tornaram seus patronos e compraram várias obras. "Big Bay", de 1996, tem uma estimativa base de 800 mil a 1,2 milhões de libras (919 mil a 1,37 milhões de euros).

O leilão vai também oferecer uma série de desenhos de Lucian Freud, datados dos anos de 1940, e que geram expetativas de venda, no conjunto, de um valor entre os 770 mil e os 1,2 milhões de libras (880 mil e os 1,37 milhões de euros).

A Christie's espera que as obras que vão a leilão a 28 de junho atinjam um total de 3,4 milhões de libras (3,88 milhões de euros).

Comentários 4 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
era uma vez uma artista
que saiu do seu país e tornou-se famosa.
Era uma vez um país que continua, teimosamente, a deixar sair os maiores valores para o estrangeiro. Será assim tão difícil criar condições para que artistas e outros valores triunfem no nosso país?
Re: era uma vez uma artista Ver comentário
Baratinho
Quando li o subtítulo da notícia pensei que o quadro iria bater o record da pintura mais barata de Paula Rego...
Valor!
é bom saber que continua em grande plano lá fora, visto q cá dentro ainda ha quem ñ lhe dê o devido mérito.

alem do mais, comprar arte alem de bom gosto é um investimento que nunca se perde, tem sempre tendencia a valorizar com o passar do tempo...
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub