25 de abril de 2014 às 2:49
Página Inicial  ⁄  Atualidade / Arquivo   ⁄  PS quer Relvas na AR a esclarecer ameaças ao "Público"

PS quer Relvas na AR a esclarecer ameaças ao "Público"

Deputada socialista Inês Medeiros revela que o PS vai pedir a presença do ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares no Parlamento para esclarecer "acusações de extrema gravidade".
Lusa
Miguel Relvas é o número 2 do Governo de Pedro Passos Coelho Mário Cruz/Lusa Miguel Relvas é o número 2 do Governo de Pedro Passos Coelho

O PS anunciou hoje que vai pedir a presença do ministro Miguel Relvas no Parlamento para prestar esclarecimentos sobre as alegadas ameaças sobre o Público e uma jornalista do jornal, por causa de uma notícia relacionada com o caso das Secretas.

O anúncio foi feito, em declarações à agência Lusa, pela deputada Inês Medeiros, depois de o Conselho de Redação do Público ter denunciado, em comunicado, que o ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas, que tutela a comunicação social, ameaçou com um "blackout" governamental ao jornal, uma queixa ao regulador do setor e com a divulgação na Internet de dados da vida privada de uma jornalista do diário, se fosse publicada uma notícia.

A notícia, da autoria de Maria José Oliveira, pretendia evidenciar "as incongruências" das declarações de Miguel Relvas, na terça-feira, no Parlamento, sobre o caso das Secretas. Contudo, o texto não foi publicado, justificando a direção do diário que "não havia matéria publicável", tendo a decisão sido tomada antes de conhecer as ameaças do ministro, já refutadas pelo seu gabinete.

"Não podem subsistir dúvidas"


Numa reação à Lusa, a deputada Inês Medeiros considerou que "são acusações de extrema gravidade", sobretudo quando envolvem "ameaças de divulgação de dados da vida privada".

Para o PS, "não podem subsistir dúvidas", pelo que vai pedir a presença do ministro no Parlamento para "prestar os esclarecimentos necessários" e, se se justificar, a dos outros visados no caso.
 

Comentários 10 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
PS: Aprove-se e aplique-se uma lei simples
O PS devia deixar de fazer folclore com coisas sérias.

Todos sabem (e eles também) que quem está no poder não resiste a estes desejos de mandar, de controlar, de censurar.

O Mário Soares fez isso várias vezes.

Se o PS está agora com vontade de evitar que os jornalistas se verguem ao poder, proponham uma lei muito simples:

- Todo o político que tentar submeter um jornalista à sua vontade, impedindo a liberdade responsável de expressão, será irradiado da vida política por 4 ou 10 anos!

Vamos lá a isso, senhores políticos tão 'puros' !!!!
Re: PS: Aprove-se e aplique-se uma lei simples Ver comentário
Re: PS: Aprove-se e aplique-se uma lei simples Ver comentário
Ah !! Sim, a eleita por Paris

"Inês de Medeiros foi eleita deputada do PS por Lisboa nas últimas eleições legislativas, mas tem residência em Paris e por isso vai passar a ter direito a uma viagem a casa por semana"

"O Presidente da Assembleia da República, Jaime Gama, decidiu acolher o parecer favorável do auditor jurídico da AR e a deputada do Partido Socialista, Inês de Medeiros, vai ter direito a uma viagem por semana para Paris."

Ela comtinua em Paris ou já se mudou para Lisboa?

Só visto... Se não ninguém acredita...
O Expreso adora criar factóides...

O Expreso adora criar factóides...

Temos aqui mais um factóide, mas o que é um factóide?

Um factóide é um fato divulgado com sensacionalismo pela mídia, este pode ser verdadeiro ou não. Trata-se também de propaganda política mal intencionada.

Qual é o objetivo de um factóide?

O propósito de um factóide é gerar deliberadamente um impacto diante da opinião pública de forma à manipulá-la de acordo com as aspirações de poderosos grupos que se utilizam de sua influência na mídia. Estes, em alguns casos estão, ou aspiram ao poder.

Ser mais claro sobre esse assunto ? É impossível
O PS anda a comer muito queijo «Camanbert»,...
Já se esqueceu o que o socratismo fez à Manuela Moura Guedes! (TVI)
Re: O PS anda a comer muito queijo «Camanbert»,... Ver comentário
Custa a acreditar
Não admira que os cidadãos não acreditem nos politicos.
Ok, o PS também tem feito muitas asneiras (é por isso que estamos com este governo) mas isso serve de justificação para comportamentos como o de Miguel Relvas?
dejá vue
O Miguel Relvas deve ser muito ingénuo, pois esquece-se com quem está a lidar: são os mesmos lobbies que depuseram o governo de maioria Santana Lopes, com fatos estremamente graves como uma gravata que ele usou ou uma sesta de ele dormiu, algures.

Desencandeiam uma cadeia de notícias para provocar, desgastar e fazer perder a cabeça a um santo. Quando isso acontece, ou alegria, a vítima caiu na armadilha - e depois... escolhe-se outro alvo.

Já o Socrates telefonava para as redações dos jornais, destratou a Judite Sousa, em direto numa entrevista, e toda a gente olhou para o lado.

Então, é medo pela liberdade de imprensa ou é outro medo? sobrevivência de pessoas que até agora estavam salvaguardadas e estão a ver o tapete a fugir-lhes dos pés?

Re: dejá vue Ver comentário
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub