14
Anterior
Mais de 70 mil alunos a exame de Português
Seguinte
Prova de Português suscita dúvidas a docentes
Página Inicial   >  Dossiês  >  Dossies Atualidade  >  Exames Nacionais 2007/2008  >  Prova de Português do 12º ano "foi fácil"

Arranque dos exames nacionais

Prova de Português do 12º ano "foi fácil"

À saída do primeiro exame nacional, de Português, para o qual estavam inscritos mais de 70 mil alunos, a maioria dos alunos tinha a mesma opinião: "o teste foi fácil".
Lusa |
Os alunos dispõem de 90 minutos para porem à prova os seus conhecimentos
Os alunos dispõem de 90 minutos para porem à prova os seus conhecimentos / Ana Baião

A generalidade dos alunos do 12º ano ouvidos hoje pela Lusa acharam o exame nacional de Português do 12º "fácil" e dizem que o completaram sem problemas. À saída das provas, um misto de apreensão e esperança dominava os sentimentos dos estudantes.

"Não tive tantas dificuldades quanto esperava. Pensei que ia ser mais difícil, mas conseguia responder a tudo e até acho que acertei na maioria das perguntas", disse uma aluna do 12º ano da escola secundária José Gomes Ferreira, em Lisboa.

"Achei que para o programa que é dado o exame foi razoável. Não foi complicado de todo", explicou.

Na escola Jerónimo Emiliano de Andrade, em Angra do Heroísmo, Açores, à saída da prova os alunos dividiam-se entre as suas preferências pela "Ilha dos Amores" de Luís de Camões e uma análise ao "Memorial do Convento" de José Saramago.

Para Miguel Medeiros, 18 anos, candidato a uma entrada na universidade em Educação Física e Desporto, a prova "correu bem, mas a nota pode ser má", enquanto Carolina Toste não compreendia porque tinha estudado tanto, uma vez que "o teste foi fácil".

Para Duarte Leonardo, 17 anos, que pretende frequentar a Escola Naval, "a prova correu mais para o menos", sublinhando que "as escolhas múltiplas foram mais fáceis que o tema de desenvolvimento", que abordava, genericamente, a questão dos Direitos Humanos.

André Parreira, 19 anos e aspirante a um curso de Enfermagem, afirmou convicto que já fez "coisas mais difíceis", no que é corroborado por Carla Santos, 17 anos, que quer tirar Gestão de Empresas, e Joana Silva, 17 anos, e candidata a um curso de Direito, que confessou "não gostar dos Lusíadas".

A época de exames nacionais obrigatórios para a conclusão do ensino básico e secundário arrancou hoje com a prova de português do 12º ano, na qual estavam inscritos mais de 70 mil alunos.

Além deste exame, realizaram-se também hoje as provas de Língua Portuguesa Não Materna dos 12º e 9º anos. No total, no ensino secundário 1.135 alunos estão inscritos para fazer exames esta terça-feira.

Mais de 326 mil a exame até 18 de Julho

Segundo dados oficiais do Ministério da Educação (ME), entre os 326.245 exames nacionais a realizar até 18 de Julho, os que registam mais inscrições são os de Português (71.135), Biologia e Geologia na quarta-feira (58.040), Física e Química na sexta-feira (54.910) e Matemática a 23 de Junho (48.427).

No básico haverá duas chamadas para os 99.930 alunos inscritos (menos 7.201 do que no ano passado) mostrarem o que sabem de Língua Portuguesa e Matemática ao nível do 9º ano, a primeira na quarta e na sexta-feira, e a segunda na próxima semana, a 26 e 27 de Junho.

Os alunos dispõem de 90 minutos para porem à prova os seus conhecimentos, sendo as pautas das classificações em ambas as chamadas afixadas a 11 de Julho.

Quanto ao secundário, estão inscritos para exame 157.718 alunos (menos 11.849 do que em 2007), dos quais 96.953 são candidatos ao Ensino Superior.

10.500 faltaram

Segundo dados do Ministério da Educação, Dos 70.896 alunos inscritos para fazer o exame nacional de Português do 12.º ano, 10.497 (14,8 por cento) não compareceram para realizar a prova.

A menor taxa de faltosos verificou-se nos Açores, na região do Centro e Alentejo, onde 86 por cento dos inscritos foram fazer o exame, enquanto que na Madeira se verificou a menor percentagem de participação (82 por cento), seguido da região do Algarve, com 84 por cento.




Exames Nacionais do Ensino Secundário 2008, 1ª Fase
9:00 14:00 17:00

Terça,
17 de Junho

12ºano
Português (239-639)

Português Língua
não Materna
Nível de iniciação (739)
Nível intermédio (839)

Quarta,
18 de Junho

12º ano
Desenho A (706)

10º / 11º anos ou 11º / 12º anos
Biologia e Geologia (702)

12º ano
História A (623)
História B (723)

12º ano

Alemão (701)
Espanhol (747)
Francês (717,817)
Inglês (750,850)

Quinta,
19 de Junho

10º / 11º anos ou 11º / 12º anos
Economia A (712)

11º / 12º anos
História da Cultura e das Artes (724)

11º / 12º anos

Aplicações Informáticas B (703)

10º / 11º anos ou 11º / 12º anos

Geometria Discritiva A (708)

Sexta,
20 de Junho

10º / 11º anos ou 11º / 12º anos
Lit. Portuguesa (734)

10º / 11º anos ou 11º / 12º anos
Física Química A (715)
Geografia (719)

11º / 12º anos
Alemão (501)
Espanhol (547)
Francês (317,517)
Inglês (450,550)

Segunda,
23 de Junho

10º / 11º anos ou 11º / 12º anos
Matemática B (735)
Matemática Aplic. Ciências. Sociais (835)
Latim A(732)

12º ano
Matemática A (635)


Opinião


Multimédia

Edwin. O rapaz que aprendeu a sonhar

O que Edwin sabia sobre a vida era sobreviver. Na cabeça dele não cabiam sonhos e os dias eram passados à procura de comida para ele e para a mãe e para o irmão. A fome espreitava nos cantos da barraca de palha no Quénia e ele escondia-se dela como podia - chupar as pedras era uma forma de a enganar. Mas a sorte dele mudou porque alguém viu nele outra coisa. E tudo começou numa dança. Agora, os mesmos dedos que agarravam as pedras tocam hoje teclas de um piano Bechstein. E os pés dele já não estão nus mas calçados. Com chuteiras. Primeiro no Benfica, agora no Estoril, o miúdo de 15 anos que fala como gente grande descobriu que tinha um sonho: ser futebolista. Como Drogba.

Todas as ilhas têm a sua nuvem

Raul Brandão chamou-lhe 'A Ilha Branca'. Como viajante digo que tem um verde diferente das outras oito que com ela formam o arquipélago dos Açores. É tenra, mansa, repousante e simultaneamente desafiante. Esconde segredos como a lenda da Maria Encantada e um vulcão florestado a meio do século passado que nos transporta para uma dimensão sulfurosa e mágica. Obrigatória para projetos de férias de natureza.

Em três quartos de hora não se esquece só a idade. "Esquece-se o mundo"

Maria do Céu dá três voltas ao lar sempre que pode. Edviges vai a todos os velórios, faz hidroginástica e sopas de letras. António dá um apoio na Igreja e nos escuteiros. Tudo é uma ajuda para passar os dias quando se tornam todos iguais. No Pinhal Interior Sul, a região mais envelhecida da União Europeia, quase um terço da população tem mais de 65 anos. Os mais velhos ficaram, os mais novos partiram.

Profissão: Sniper

O Expresso foi ver como são selecionados, que armas usam, para que missões estão preparados os snipers da Força de Operações Especiais do Exército. São uma elite dentro da elite. Um pelotão restrito. Anónimo. Treinam diariamente com um único objetivo: eliminar um alvo à primeira, mesmo que esteja a centenas de metros. Humano ou material. Sem dramas morais, dizem.

Xarém com conquilhas

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione com esta nova receita.

O que se passa dentro da cabeça dele

O que leva um tipo a quem iam amputando uma perna a regressar ao sítio onde os ossos se desfizeram, uma e outra vez, e testar os limites do seu corpo? Resposta: a busca pelo salto perfeito, que ele diz existir dentro dele e que ele encontrará mais dia menos dia. É a fé e a confiança que o movem e o levam a pular para lá do que é exigido a um campeão olímpico e mundial que não tem mais nada a provar a ninguém - a não ser a ele próprio. Este é um trabalho que publicámos em agosto de 2014, quando o saltador se preparava para os Europeus e falava das metas que tinha traçado para 2015 e 2016: mostrar que não estava acabado. Sete meses depois, provou-o no Europeu de pista coberta em Praga, onde venceu este fim de semana.

Amadeu, que aprendeu o mundo no campo e tinha o coração na ponta dos dedos

Em Portugal, a dedicação à língua mirandesa tem nome próprio: Amadeu Ferreira, o jurista da CMVM que - quando todos diziam que "era uma loucura impossível" - arranjou tempo para traduzir "Os Lusíadas", a "Mensagem", os quatro Evangelhos da Bíblia e ainda duas aventuras do Asterix para uma língua que pertence a um cantinho do nordeste português e é falada por menos de 15 mil pessoas. No final de 2014 deu ao Expresso aquela que viria a ser a sua última entrevista. Morreu no passado domingo e esta quinta-feira foi lançada a sua biografia, "O fio das lembranças", com quase 800 páginas.

Temos 16 imagens que não explicam o mundo, mas que ajudam a compreendê-lo

O júri do World Press Photo queria dar o prémio maior da edição deste ano (e talvez das edição todas) a uma fotografia com "potencial para se tornar icónica". A primeira imagem desta fotogaleria, por ser "esteticamente poderosa" e "revelar humanidade", é o que o júri procurava. A fotografia de um casal homossexual russo, a grande vencedora, é a primeira de 16 imagens de uma seleção onde há Messi desolado, migrantes em condições indignas no Mediterrâneo, a aflição do ébola, mistérios afins e etc - são os contrastes do mundo.

Vamos falar de sexo. Seis portugueses revelam tudo o que lhes dá prazer na cama

Neste primeiro episódio de uma série que vai durar sete semanas, seis entrevistados falam abertamente sobre aquilo que lhes dá mais satisfação na intimidade. Sexo em grupo, sexo na gravidez, prazer sem orgasmo e melhor sexo após a menopausa são alguns dos temas referidos nos testemunhos desta semana. O psiquiatra Francisco Allen Gomes explica ainda a razão de muitas mulheres fingirem o orgasmo. O Expresso e a SIC falaram com 33 portugueses que deram a cara e o testemunho de como são na cama. Ao longo das próximas sete semanas, contamos-lhe tudo.

Elvis. Gostamos ou não gostamos?

Ele não é consensual, mas é incontornável. Dispunha de penteado majestoso e patilha marota, aparentava olhar matador e pose atrevida. E deixou canções: umas fáceis e outras nem tanto, por vezes previsíveis e às vezes inesperadas, ora gentis ora aceleradas. E ele, Elvis, nasceu em janeiro de 1934 - há precisamente 40 anos, ao oitavo dia. Temos quatro textos sobre o artista: Nicolau Santos, Rui Gustavo, Nicolau Pais e João Cândido da Silva explicam o que apreciam, o que toleram e o que não suportam.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Desfile de vedetas

Saiba tudo sobre os modelos concorrentes ao Carro do Ano 2015/Troféu Essilor Volante de Cristal. Conheça o essencial sobre os 20 automóveis participantes nesta iniciativa, da estética, às características técnicas, do preço ao consumo. A apresentação ficará completa no dia 3 de janeiro.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

Desacelerámos a realidade para observar a euforia da liberdade

Ela, Jacarandá, é algarvia. Ele, Katmandu, é espanhol. São linces e agora experimentam a responsabilidade da liberdade: foram soltos esta terça-feira numa herdade alentejana, próxima de Mértola, eles que saíram de centros de reprodução em cativeiro. Foi inédito: nunca tinha acontecido algo assim em Portugal. Estivemos lá e ensaiámos o slow motion.


Comentários 14 Comentar
ordenar por:
mais votados
A melhor sondagem do ano. Responda por favor:
Na sua opinião, para onde irá sócrates quando sair do governo?

1 - Para quadro da banca;
2 - Para a direcção de uma empresa de construção (Por exemplo Mota- Engil);
3 - Para a Câmara da Covilhã assinar mais projectos de "mamarrachos";
4 - Para docente da cadeira de inglês técnico na Universidade Independente.
5 - Outra? qual?
Vai para a ONU
Facilidades...
Já quando foi a questão das provas de eferição os alunos saiam da prova com um sorriso nos lábios dizendo que tinham achado "fácil". Quando a maioria dos estudantes diz que um exame é fácil eu desconfio. Agora vêm os exames nacionais e os estudantes voltam a dizer que é fácil.... aí já cheira a esturro. Gostava de ver os resultados pois, segundo a teoria da conspiração, este é um caso que indicia que as autoridades modelam a dificuldade dos exames para se obter um determinado resultado, não só fica bem como acaba por justificar a existencia de uma determinada política. Mas isso sou eu que já fui acusado de ler muitos livros de espionagem e conspiração...
Re: Facilidades...
Re: Facilidades...
Re: Facilidades...
Re: Facilidades...
Peço o direito de discordar...
Facilidades... pois claro!
Claro que foi fácil
é a única forma de subir as médias. Não tardará muito para alguém se contentar com a subida das médias...
exame de portugues tudo menos facil
Não achei o exame nada fàcil até porque o ministério nos enganou.... não estudamos "Os Lusíadas" no 12º ano, fazemos sim uma anàlise comparativa com "Mensagem". Não compreendo como é que os alunos podem estar tao felizes. Vou gostar de saber se os comentàrios de hoje vão corresponder a belissimas notas dia 7 de julho. Sinto-me enganada. E agora muito boa noite que amanha hà mais um exame, sim porque a preocupação com os alunos de humanidades não é a mesma que se tem pelos alunos de ciências, infelizmente, e embora a validade das àreas seja a mesma, na minha opinião.
Vergonhoso!
Frequento o 12º ano e, também eu realizei o exame nacional de Português. No entanto, a minha opinião é contraria à dos alunos inquiridas, já que considero que o a prova apelou claramente ao desleixo e desinteresse dos alunos, beneficiando todos os que, por estes dias, pouco se dedicaram ao estudo. Incluindo o programa o estudo de obras como Mensagem e Pessoa ortónimo e seus heterónimos, é inadmissível que o exame faça referência apenas a Os Lusíadas, não exigindo mais que a interpretação do excerto apresentado.
A julgar pelos comentários tecidos pelos professores no final da prova, as questões apresentavam-se mal formuladas, o que jamais poderá acontecer numa prova desta importância.
A educação em RESET.
Elevemos o nível baixando a exigência.
Que importa?!?
Fácil ou difícil, o que está a dar é entrar no Novas Oportunidades e, num ano, obter qualificações equivalentes às escolares de 3 ou 6 anos! E, agora, até há os programas "maiores de 23" nas universidades, em que nem o 12º ano é preciso ter para se ingressar, apenas é preciso fazer estas provas fáceis, fáceis e PAGAR as propinas... é evidente, se os licenciados vão para o desemprego, safa-se melhor quem optar pela via tecnico-profissional e não pensar em empregos de camisa branca, pois já só tem canudo quem cai no logro das universidades e quer dizer-se "doutor" num país encalhado... As provas serão cada vez mais fáceis, para possibilitar o negócio das universidades, o que poderá ser evidente apenas a poucos que recusem continuar a sustentar um sistema moribundo.
Comentários 14 Comentar

Últimas

Receba a nova Newsletter
Ver Exemplo

Pub