24 de abril de 2014 às 19:45
Página Inicial  ⁄  Opinião e Blogues  ⁄  O Expresso na SIC Notícias  ⁄  Primeiro-ministro admite mais desemprego em 2012

Primeiro-ministro admite mais desemprego em 2012

O comentário de Vítor Andrade, jornalista do Expresso, no Jornal de Economia da SIC. Em análise o desemprego, o negócio entre a EDP e a China Three Gorges e os efeitos da seca na economia.
Comentários 7 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
Ufa, já era tempo !!!

Há quanto tempo PPC não dizia uma verdade !!!

Re: Ufa, já era tempo !!! Ver comentário
O Sr. 1º Ministro vai ter de esperar por 2015
Para perceber o que é desemprego.
Consigo irão todos os seus "boys" que iram revezar os outros no desemprego.

Entretanto em 2013 os contribuintes que esperem pelo verdadeiro choque fiscal que foi aprovado no OE2012.

Até o 1ºM. ficar desempregado muito irão sofrer os contribuintes deste País.
Temos é de fazer a ponte!
Porque passei a ser a favor de fazer a ponte?
http://muitosuave.blogspo...
Bola de Neve
Não consigo perceber como é que um país resolve o seu problema do endividamento com um resgate de 78 mil milhoes de euros com juros galácticos em que não há produção que chegue para enriquecer o país, onde muitos desses milhões estão a servir para "tapar buracos" nas empresas públicas que são administradas por "chupões" e com impostos elevadíssimos que mesmo assim não chegam para este resgate! FECHEM O PAÍS!
Re: Primeiro-ministro admite mais desemprego em 20
Para que serve um PM que apenas diz o que toda a gente já sabe ou prevê? Desde a campanha eleitoral do ano passado que Passos se "especializou" em dizer as "verdades" e "mentiras" mais ou menos conhecidas e habituais. Agora, "refinou-se", passando a dizer só as verdades que antevê, porque esgotou o seu stock de mentiras...
A racionalização Necessária ...
A boa instrução e o ensino vale mais que a riqueza...
Todos temos direito à Educação aos olhos da Constituição Portuguesa, mas que esta seja de qualidade e que prepare os jovens para o Mundo de Trabalho de maneira organizada, orientada, qualificada,porque assim como vemos hoje o cenário é caso para dizer "um burro carregado de livros é um doutor" perdoem-me a expressão mas é para salientar a ideia. Já que ultimamente a educação tem sido tão debatida e de protesto. No meu devaneio e nas dúvidas que ponho na minha reflexão sobre o Ensino superior é ser necessário a racionalização nas universidades para ser competitiva com as europeias.Olhando pelo mercado de trabalho e os jovens licenciados,estes são nos nossos dias são os mais afectados, uma fatia dos desempregados de longa duração lhes pertence. Fazendo uma retrospectiva ao longo destes anos,posso verificar que o ensino em Portugal proliferou muito mas sem respeitar as exigências cientificas, pedagógicas e de mercado essenciais a vários níveis.A proliferação foi tanta que é praticamente impossível dizer quantas Universidades, escolas, Institutos Superiores, Politécnicos etc.existem de facto no País.Acho que a obsessão Portuguesa pelos títulos académicos, ao longo destes anos, fez uma certa demagogia governativa que tenha levado a equiparar os mesmos atributos pelos Institutos e Universidades, passando do Pós 25 de Abril de 5 Universidades estrutura Superior Atrofiada para Estrutura desprovida de racionalidade,do 8 ao 80.
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub