Anterior
China e Rússia esgotam matérias-primas à velocidade da luz (vídeo)
Seguinte
R.E.M. chegam ao fim (vídeos)
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >   Primeira-ministra dinamarquesa envolta em polémica

Primeira-ministra dinamarquesa envolta em polémica

A primeira mulher a chefiar um Governo na Dinamarca tem estado ocupada a desmentir rumores sobre a sua vida: que o marido é homossexual e que o casal foge aos impostos.
Helle Thorning-Schmidt com o marido, Stephen Kinnock, à porta de casa, depois de ter vencido as eleições
Helle Thorning-Schmidt com o marido, Stephen Kinnock, à porta de casa, depois de ter vencido as eleições / Martin Sylvest/Reuters
"Gucci-Helle" está sempre impecavelmente vestida, o que lhe motivou a alcunha
"Gucci-Helle" está sempre impecavelmente vestida, o que lhe motivou a alcunha / Nils Meilvang/EPA

Ainda não está no Governo há uma semana, mas já tem sido notícia pelas piores razões. Helle Thorning-Schmidt, a primeira mulher a chefiar um Governo na Dinamarca, não tem tido vida fácil nos primeiros dias no novo cargo, depois de ter ganho as eleições como líder do bloco de centro-esquerda.

Os tablóides dinamarqueses noticiaram a alegada homossexualidade de Stephen Kinnock, marido da primeira-ministra e filho de Neil Kinnock, ex-líder do Partido Trabalhista Britânico. Rumor que Thorning-Schmidt se viu forçada a desmentir, um dia antes das eleições. "Só posso dizer que não é verdade. É muito desagradável que os jornais publiquem esse tipo de rumores. É também muito incómodo para a minha família e para as minhas filhas, e grotesco", explicou, citada pelo "El País".

Mora na Suíça ou na Dinamarca?


Mas os escândalos continuam. Os tablóides dizem que o casamento de ambos - que dura há 15 anos - serve não só para disfarçar a homossexualide de Stephen Kinnock, mas também para fugir aos impostos. Isto porque o marido de Helle Thorning-Schmidt é presidente do Fórum Económico Mundial e vive na Suíça, país onde o pagamento ao fisco é muito mais baixo do que na Dinamarca.

De acordo com a imprensa, Kinnock declarou o seu salário de €130 mil na Suíça e surgia como "não residente" na Dinamarca, onde dizia só passar 33 fins de semana por ano. Contudo, em plena campanha eleitoral, no ano pasado, quando o casal quis comprar uma casa de mais de €500 mil em Copenhaga, Thorning-Schmidt - também conhecida como "Gucci-Helle", pelo gosto luxuoso no vestuário - assegurou que o marido passava todos os sábados e domingos em casa.

Mais tarde, viu-se forçada a admitir que tinha cometido "alguns erros" na informação que tinha prestado à comunicação social. Para mitigar o escândalo, Stephen Kinnock pediu uma licença no trabalho para regressar à Dinamarca e, durante as eleições, o casal deixou-se fotografar e entrevistar dentro do seu lar pela primeira vez.

 


Opinião


Multimédia

Cheesecake com manjericão e doce de tomate

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 16 Comentar
ordenar por:
mais votados
'Primeira-ministra dinamarquesa envolta em polémic

Típico, a esquerda ganha, lá começam os ataques pessoais.
Re: 'Primeira-ministra dinamarquesa envolta em pol
Re: 'Primeira-ministra dinamarquesa envolta em pol
Re: 'Primeira-ministra dinamarquesa envolta em pol
Re: 'Primeira-ministra dinamarquesa envolta em pol
Re: 'Primeira-ministra dinamarquesa envolta em pol
Re: 'Primeira-ministra dinamarquesa envolta em pol
Re: 'Primeira-ministra dinamarquesa envolta em pol
Re: 'Primeira-ministra dinamarquesa envolta em pol
Re: 'Primeira-ministra dinamarquesa envolta em pol
Re: 'Primeira-ministra dinamarquesa envolta em pol
Será dor de cotovelo de alguns machistas?
Há muito machismo nestas acusações.

Será que os homens, mesmo nos países nórdicos, não aceitam a eleição de uma mulher?
Re: Será dor de cotovelo de alguns machistas?
Re: Será dor de cotovelo de alguns machistas?
As mentalidades
Ela até podia ser casada com um elefante o problema é dela..quanto a fugir aos impostos...acho muito dificil(mas não impossivel), vivi e trabalhei 2 anos na Dinamarca e é muito mas mesmo muito dificil fugir aos impostos(aliás em todos os países do Norte da Europa(Holanda, Bélgica (parte flamenga), Alemanha e os países nórdicos, mas não impossivel). E pelo contrário as pessoas nesse país têm um nível de vida muito elevado que tanto se lhes dá..mas lá diz o ditado, NO MELHOR PANO CAI A NÓDOA
Re: Primeira-ministra dinamarquesa envolta em polé
:')
Comentários 16 Comentar

Últimas

Ver mais

Pub