24 de abril de 2014 às 19:45
Página Inicial  ⁄  Economia  ⁄  Presidente do Eurogrupo elogia consolidação orçamental portuguesa

Presidente do Eurogrupo elogia consolidação orçamental portuguesa

"Portugal faz esforços enormes, notáveis e admiro muito a coragem do Governo português para impor as reformas que está a impor", disse Jean Claude Juncker. (Veja o vídeo SIC no fim do texto)
Lusa
«Apesar de os mercados continuarem voláteis, os últimos desenvolvimentos são encorajadores», disse Juncker Francois Lenoir/Reuters «Apesar de os mercados continuarem voláteis, os últimos desenvolvimentos são encorajadores», disse Juncker

O presidente do Eurogrupo, Jean Claude Juncker, elogiou hoje em Bruxelas as medidas de consolidação orçamental tomadas por Portugal e Espanha, que permitiram diminuir o risco em investir na dívida soberana dos dois países.

"Portugal faz esforços enormes, notáveis e admiro muito a coragem do Governo português para impor as reformas que está a impor", declarou Juncker, em conferência de imprensa, no final de uma reunião dos ministros das Finanças da Zona Euro.

O presidente do Eurogrupo considerou que as medidas tomadas até agora "funcionam, em particular as tomadas em Portugal e Espanha", que "parecem ter sido muito úteis, nomeadamente para reduzir o 'spread' soberano", ou seja, o risco em investir na dívida destes países.

Desenvolvimentos encorajadores


"Apesar de os mercados continuarem voláteis, os últimos desenvolvimentos são encorajadores", disse Juncker.

O presidente do Eurogrupo sublinhou que "claro que as medidas de consolidação orçamental devem ser complementadas por reformas estruturais consequentes".

O ministro das Finanças português, Teixeira dos Santos, participou na reunião do Eurogrupo, mas saiu antes de ela terminar, para voltar a integrar a comitiva do primeiro ministro, José Sócrates, que visita os Emiratos Árabes Unidos.

Teixeira dos Santos interrompeu a visita aos Emiratos Árabes Unidos para participar numa reunião dos 17 ministros das Finanças da Zona Euro, mas não fica na capital da Bélgica para o encontro alargado aos 27 da União Europeia (Ecofin), na terça-feira.

O reforço da capacidade de financiamento efetiva do Fundo de Resgate Europeu aos países da Zona Euro com dificuldades para financiar a sua dívida soberana foi discutido pelos ministros das Finanças da Zona Euro.  
 



Comentários 40 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
São "favores" encomendados,estas declarações
Estas declarações,em cima das eleições presidenciais,são encomendadas por Sócrates.Querem fazer dos Portugueses parvos,mas infelizmente a "consolidação" que eles sentem é a falta de dinheiro nos bolsos e para o pão, todos os dias.
Re: São Ver comentário
Re: São Ver comentário
Quanto custam as entevistas ao Financial Times ? Ver comentário
Re: Quanto custam as entevistas ao Financial Times Ver comentário
Pavlov Ver comentário
Em cima das eleições,não há coincidências! Ver comentário
Re: Em cima das eleições,não há coincidências! Ver comentário
Re: Pavlov Ver comentário
Voar Ver comentário
Re: Voar Ver comentário
Re: Voar Ver comentário
Re: Voar Ver comentário
Re: São Ver comentário
Re: CURIOSO Ver comentário
Anti-político
Como já afirmei que esta democracia tendencialmente corrupta só tem um objectivo, o de continuar a servir os seus interesses particulares, mas não deixa de ser oportuno estas declarações de certos agiotas.
Pobre povo que sofre por sua culpa?
Presidente do Eurogrupo elogia consolidação
Estas declarações devem fazer comichão a muita gente em Portugal, porque sarna para coçar não falta por aí. Portugal teve o azar de ter sido apanhado por esta crise Mundial, precisamente na altura que tinha à sua frente um homem reformador e modernizador. Não sendo um adepto fervoroso da politica e de qualquer partido, pergunto como estaria este País sem ele. Como diz Joe Berardo; Sócrates tentou fazer algo por este País, mas não lhe deixaram. Já Basílio Horta refere que nunca um Primeiro Ministro foi tão atacado. Sempre quero ver o que vai acontecer depois dele.
Re: Presidente do Eurogrupo elogia consolidação Ver comentário
Re: Presidente do Eurogrupo elogia consolidação Ver comentário
Re: Presidente do Eurogrupo elogia consolidação Ver comentário
Re: Presidente do Eurogrupo elogia consolidação Ver comentário
Re: Presidente do Eurogrupo elogia consolidação Ver comentário
Re: Presidente do Eurogrupo elogia consolidação Ver comentário
Re: Presidente do Eurogrupo elogia consolidação Ver comentário
Re: Presidente do Eurogrupo elogia consolidação Ver comentário
Re: Presidente do Eurogrupo elogia consolidação Ver comentário
Re: Presidente do Eurogrupo elogia consolidação Ver comentário
Re: Presidente do Eurogrupo elogia consolidação Ver comentário
Re: Presidente do Eurogrupo elogia consolidação Ver comentário
Re: Presidente do Eurogrupo elogia consolidação Ver comentário
Re: Presidente do Eurogrupo elogia consolidação Ver comentário
Re: Presidente do Eurogrupo elogia consolidação Ver comentário
o reconhecimento
Na passada 4ª feira o governo português e no seu conjunto Portugal, deram uma vitória à Europa, que foi de imediato reconhecida pela generalidade da imprensa estrangeira.
Portugal não vai baixar os braços e vai conseguir ultrapassar este momento menos bom; ao contrário do que se escreve os portugueses já estão mentalizados para tal.
O actual executivo, vai continuar, e bem!, a fazer o que lhe compete, GOVERNAR!
Aqui na caixa de comentários do Expresso
Vejo muitos "bravos do pelotão" talvez possamos constituir um novo movimento de Abril com todos estes corajosos democratas, ou não?

http://oanaogigante.blogs...
Re: Aqui na caixa de comentários do Expresso Ver comentário
Euro quê?
O verdadeiro amigo chega quando é preciso.
Epa!
Com uma notícia destas não sei se passo a confiar no governo ou a desconfiar de Bruxelas. É claro que o medo é de contágio a Espanha que representa 12% da economia europeia (cerca de 4 vezes a portuguesa). Para aí não há FMI que chegue...
Depois de comer
Isto de dar entrevistas depois de um alto almoço é o que dá.
Só acreditamos nom que cremos acreditar

"Portugal faz esforços enormes, notáveis e admiro muito a coragem do Governo português para impor as reformas que está a impor", declarou Juncker.

Se este senhor dissesse que o Governo Português é preguiçoso, não faz os trabalhos de casa, muitos dos comentadores batiam palmas.

É normal ! Viva a Democracia

PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub