Siga-nos

Perfil

Presidenciais 2016

Marisa Matias

Marisa das gargalhadas às lágrimas. Arruada na Morais Soares teve um pouco de tudo

  • 333

António Cotrim / Lusa

Na Rua Morais Soares, Lisboa, a arruada da candidata presidencial apoiada pelo BE começou com música, apoios e gargalhadas, mas acabou com Marisa Matias em lágrimas depois do duro testemunho de uma senhora que com ela quis desabafar

Fim de tarde chuvoso em Lisboa, mas, à hora marcada, Marisa Matias, acompanhada pela porta-voz do BE, Catarina Martins, e pela deputada Mariana Mortágua, arrancou da Praça Paiva Couceiro rumo à tradicional arruada nas lides bloquistas que desce a Rua Morais Soares.

Com a banda à frente a tocar, as palavras de incentivo marcaram o ritmo, com promessas de voto no domingo, parabéns pelo desempenho no debate televisivo e, sobretudo, pela posição crítica assumida em relação às subvenções vitalícias, tendo até havido tempo para elogios à figura e à beleza da candidata.

Beijinhos, sorrisos, gargalhadas, fotografias, abraços e até ofertas de latas de refrigerantes num restaurante. Tudo corria leve e animado até que Marisa foi parada por uma mulher.

"Queremos trabalho, queremos comida, queremos outras condições que não temos. Tenho sete netos. Aonde é que está o emprego, aonde é que está o dinheiro para dar de comer? Aonde é que está o nosso Governo? Somos governados por quem?", começou dizer, num tom exaltado e desesperado, agarrado às mãos de Marisa.

A candidata foi respondendo: "tem toda a razão", mas a senhora continuou a contar o seu desespero e a sua condição de saúde, uma conversa que terminou com um longo abraço, todos os que estavam à volta emocionados e Marisa em lágrimas.

A vida, também em campanha, continua e a arruada prosseguiu. Depois de umas breves declarações aos jornalistas, a candidata teve a recompensa por um momento duro e recebeu mais um longo abraço, desta vez da pequenina Ana Lúcia que depois de tirar uma fotografia com Marisa correu para lhe dizer: "vou pedir à minha mãe para votar em ti".

"Não sou muito de políticas, mas que o povo esteja contigo. Alguma mulher que faça alguma coisa de jeito", disse ainda uma mulher à eurodeputada.

Mas Marisa Matias não saiu da Morais Soares sem um argumento para a disputa política com o opositor Marcelo Rebelo de Sousa e um homem atirou-lhe: "navio Escola Sagres não é navio de guerra como ele disse no outro dia. Mande essa ao Professor 'Martelo'".