Siga-nos

Perfil

Presidenciais 2016

Presidenciais 2016

Sampaio da Nóvoa: “o meu projeto acabou aqui”

  • 333

Tiago Miranda

O candidato recusou apelos a construir uma hipotética carreira política a partir do mas de um milhão de voos que obteve

Luísa Meireles

Luísa Meireles

Texto

Redatora Principal

Tiago Miranda

Tiago Miranda

Fotos

Fotojornalista

Antes de Sampaio da Nóvoa terminar de fazer a sua intervenção final, reconhecendo a derrota, Maria Antónia Palla saiu da sala chorar e disse que gostaria de ter tido o seu filho António Costa ao lado de Nóvoa. Mas este não respondeu à pergunta do jornalista e limitou-se a dizer que nunca nada lhe havia sido prometido e que, como sempre disse na campanha, queria o apoio de todos.

Apesar disso, terminado o discurso, ainda houve uma "espontânea" que subiu ao palco e gritou para todos "isto não acaba aqui, não pode acabar aqui". Rapidamente retirada de cena pelos assessores da candidatura, acabou por calar-se.

Sobre essa questão, Nóvoa foi mesmo taxativo na resposta: " não, nunca, isso não está no meu ADN". O ADN, no caso, seria aproveitar-se do mais de um milhão de votos que teve e construir a partir daí um projeto político, à semelhança do que aconteceu, há 30 anos, com o PRD de Ramalho Eanes.

Para Sampaio da Nóvoa, "seria uma fraude usar esses votos", o seu projeto "terminou aqui", era para uma candidatura independente à Presidência e nada mais. Amanhã, apresentar-se-á na Universidade, porque está há nove meses de licença sem vencimento. E, depois tirar umas férias, para algum sítio onde não o reconheçam".

E à pergunta se estaria disponível para voltar ao terreno daqui a cinco anos, limitou-se a responder que isso agora nem se coloca, "cinco anos é muito tempo". E manifestou esperança de que neste "tempo novo, irá tudo correr bem... Ou talvez não".

Tiago Miranda

O melhor resultado de um independente em Portugal

Tal como o Expresso avançou, o mau resultado de Maria de Belém, que ninguém esperava, terá contribuído para o falhanço dos objetivos, não segurando votos que teriam sido indispensáveis para forçar uma segunda volta. Quanto a outras razões de fracasso - incluindo a divisão no PS - , ficarão para análise posterior, como adiantou ao Expresso o diretor de campanha, Pedro Delgado Alves.

Por ora, o candidato pode gabar-se de, pela primeira vez na democracia portuguesa, tal como salientou na sua intervenção, ter conseguido o feito de um independente estar perto e disputar a segunda volta. "Pela primeira vez na nossa democracia, um candidato independente ultrapassou os 20% e alcançou um milhão de votos", disse Sampaio da Nóvoa.

O candidato afirmou também que, embora racionalmente admitisse este resultado, acreditou até ao último minuto que seria possível.

Na sua intervenção, Nóvoa disse ainda que já tinha felicitado Marcelo Rebelo de Sousa e que ele seria, a partir de hoje, o "seu Presidente".
Mas na sede, depois de uma tentativa de saída, Nóvoa ainda ficou mais um tempo longo. "Obrigado, obrigado", gritavam os apoiantes. Passavam das 23h e ele ainda ficou.