Siga-nos

Perfil

Presidenciais 2016

Presidenciais 2016

Marcelo ao lado de Costa no Novo Banco

  • 333

Jose Carlos Carvalho

Marcelo garante “secundar o que o Governo achar necessário” para estabilizar o sistema no que toca ao NB. Contra Carlos Costa?

Ângela Silva

Ângela Silva

Texto

Jornalista

José Carlos Carvalho

José Carlos Carvalho

Fotos

Fotojornalista

Marcelo já fala como se isto estivesse ganho. Se for Presidente “dentro de dias”, estará ao lado de António Costa na gestão do Novo Banco, “para aquilo que o Governo achar necessário”.

A pergunta era sobe as críticas do Executivo socialista ao governador do Banco de Portugal, por ter passado as obrigações seniores para o Banco mau. E Marcelo pôs-se ao lado do Governo: “já tive ocasião de dizer que o governo tem um papel fundamental na estabilização do sistema financeiro e portanto compete ao Governo ir acompanhando muito de perto o que se passa no Banco de Portugal, neste processo como noutros”.

É o contrário do que fez o Governo de Passos Coelho, que sempre defendeu a autonomia do BP. Marcelo sublinha não estar na posse de todos os dados e querer acautelar o “momento sensível em que um Presidente ainda não saiu e o outro ainda não entrou”. Mas foi sinalizando uma mudança de rumo no acompanhamento do sistema financeiro: “Se for eleito não deixarei de secundar aquilo que o governo achar necessário fazer para credibilidade o sistema financeiro cá dentro e lá fora”.

Questionado sobre a guerra Governo-Governador e sobre a polémica decisão de Carlos Costa, o candidato disse que o “o Governo tem poderes legais para intervir nessa matéria”.

O candidato congratulou-se com a reunião que António Costa e Pedro Passos Coelho fizeram esta tarde no Parlamento: "É uma aproximação natural entre dois protagonistas essenciais da vida política portuguesa. Eles vão ter de falar de muita coisa", afirmou.

Esta sexta-feira, Marcelo andou pelas Caldas da Rainha onde teve o seu primeiro banho de multidão - a praça da fruta nunca falha -, e pela Nazaré, onde visitou um centro de vela deveras adaptado para deficientes e onde deu um passeio de barco. De mergulhos, nem quer ouvir falar. O do Tejo são águas passadas e Marcelo está animado com as últimas sondagens. A aproximação do litoral também ajuda. Pode ser que a onda comece a crescer.