Siga-nos

Perfil

Presidenciais 2016

Presidenciais 2016

Europa: Sampaio da Nóvoa defende referendos

  • 333

Tiago Miranda

Nóvoa quer temas europeus submetidos a debate: “Não se pode aderir de forma [apenas] generosa”

Luísa Meireles

Luísa Meireles

(texto)

Redatora Principal

Tiago Miranda

Tiago Miranda

(foto)

Fotojornalista

"Não aceitarei diminuições significativas futuras de soberania sem que sejam submetidas a debate na sociedade portuguesa e a um referendo". Preto no branco, o candidato presidencial Sampaio da Nóvoa - um europeísta convicto, como se define - expôs esta quarta-feira a sua posição sobre os assuntos europeus.

Para Nóvoa, "a Europa não se fez para criar divisão mas um espaço de paz e convergência" e há um grande debate a fazer sobre o papel de Portugal na União Europeia.

O tema surgiu em declarações aos jornalistas esta manhã, depois da inauguração da sede de campanha em Coruche, aonde acorreram algumas dezenas de pessoas. Antes, o mandatário concelhio Joaquim Coelho tinha colocado o tema em cima da mesa e a tomada de posição do candidato foi inevitável.

Sampaio da Nóvoa não se quis pronunciar sobre se no passado deveriam ter sido realizados referendos - como por exemplo sobre o Tratado de Lisboa - mas foi claro ao afirmar que "tem de haver uma discussão no país" e que simplesmente "não podemos aderir de forma generosa".

O candidato também foi crítico em relação ao modelo do chamado "bom aluno", uma "metáfora triste que devemos abandonar", tal como disse. Para o ex-reitor da Universidade de Lisboa, tem de haver uma relação diferente com a Europa, onde vai descortinando "vozes e movimentos que são índices de renovação".

Quanto a ter uma voz mais forte no palco europeu, "só reforçando a soberania", o que para o candidato se faz através do crescimento económico e da capacitação das empresas e da economia no seu conjunto.

A passagem por Coruche foi marcada por uma visita ao Observatório do Sobreiro e da Cortiça, onde Sampaio da Nóvoa quis salientar um dos temas fortes da sua campanha, a valorização do interior, isto é, segundo as suas palavras, "como se reinventam atividades antigas usando a inovação e a investigação".

Depois, Nóvoa seguiu para um almoço com apoiantes em Abrantes. A tarde será passada na Marinha Grande e, de seguida, a caravana ruma ao norte.

Tiago Miranda