Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Taxa sobre reformados e pensionistas não vai avante

A garantia foi dada hoje ao novo líder da UGT, durante o encontro que manteve hoje com Passos Coelho e o ministro da Economia.

O Governo vai abdicar da taxa sobre reformados e pensionistas. Segundo Carlos Silva, o líder da UGT, a decisão foi-lhe comunicada por Passos Coelho, que "assumiu que essa questão não vai para a frente".

Em conferência de imprensa, após o encontro hoje mantido com o primeiro-ministro e o ministro da Economia, em São Bento, o novo líder da UGT disse ter ainda ter recebido de Álvaro Santos Pereira a garantia de que vão ser apresentadas medidas que promovam o emprego, "nomeadamente o emprego jovem".

Questionado sobre a possibilidade de consenso, Carlos Silva considerou que "este não está em causa, desde que este não colida com os interesses dos trabalhadores".

Quanto à posição da UGT em relação às propostas para a Função Pública, Carlos Silva diz não existir margem para cedência "nos direitos considerados essenciais". "A UGT não concorda com o aumento da idade da reforma e considera que o aumento do número de horas de trabalho, das 35 para 40 horas, põe em causa o acordo assinado no ano passado", acrescentou.

Carlos Silva disse ter-lhe sido garantido também que a redução dos 30 mil efetivos será conseguida, apenas, através do pacote de rescisões amigáveis.