Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

PSD também quer recontagem dos votos na Madeira, mesmo depois de recuperar a maioria

  • 333

FOTO TIAGO PETINGA / LUSA

Depois de uma terça-feira de reviravoltas, há uma quarta-feira de recursos. Sociais-democratas recorrem da recontagem de votos, mas por motivos diferentes dos da oposição.

Marta Caires

Jornalista

O PSD entregou esta quarta-feira um recurso relativo aos resultados das eleições regionais de domingo na Madeira, disse à agência Lusa fonte do Tribunal Constitucional (TC) - informação já confirmada pelo Expresso. Este recurso junta-se aos que já foram apresentados pela oposição

Contactado pela Lusa, fonte do PSD-Madeira explicou que o recurso se prende com o facto de o partido pretender que o TC considere e analise votos que foram considerados nulos pela assembleia de apuramento geral, mas que para os sociais-democratas deveriam ter sido considerados válidos, num universo de 40 votos.

No domingo, os resultados provisórios das eleições legislativas regionais atribuíram 24 deputados ao PSD, o que garantia aos sociais-democratas a sua 11ª maioria absoluta. 

Na terça-feira, uma primeira recontagem da assembleia geral de apuramento chegou a retirar a maioria absoluta ao PSD e, pouco depois das 20h00, foi afixado um edital em que os sociais-democratas perdiam um deputado em benefício da CDU. 

No entanto, menos de duas horas depois, a assembleia geral de apuramento detetou que os votos do Porto Santo não tinham sido contabilizados, por erro informático. 

Por volta das 22h15 de terça-feira, o porta-voz da Comissão Nacional de Eleições, João Almeida, presente na residência oficial do Representante da República, onde decorreu todo o processo, anunciou que, contabilizados os votos de Porto Santo, o PSD 'recuperava' a maioria absoluta e classificou o erro informático de "lamentável e indesculpável".