Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

PSD perde a maioria absoluta na Madeira

  • 333

FOTO TIAGO PETINGA / LUSA

A assembleia de apuramento geral dos resultados eleitorais atribuiu o último deputado à CDU. A mudança retira a maioria absoluta ao PSD, que fica assim com 23 deputados no Parlamento da Madeira. Os sociais-democratas deverão recorrer para o Tribunal Constitucional.

Marta Caires

Jornalista

O PSD perdeu a maioria absoluta na Madeira na sequência da recontagem dos votos. O último deputado a ser eleito nas regionais de domingo foi para os sociais-democratas, mas por escassos cinco votos - precisamente o mesmo número de votos que faltou à CDU para eleger o terceiro deputado.



Feita a recontagem, Miguel Albuquerque perdeu a maioria absoluta. O PSD fica com 23 deputados e não com os 24 celebrados no domingo. A mudança na atribuição de mandatos aconteceu por um engano numa das mesas de votos em Santa Cruz, onde se introduziu mais 100 votos ao PSD. Durante a assembleia de apuramento desta terça-feira, as atas foram revistas e foram contados votos de algumas mesas do Funchal, Santa Cruz e Ponta do Sol. A verificação mudou o resultado provisório de domingo à noite.

As eleições regionais de domingo registaram um número anormal de votos nulos - mais de três mil - e a CDU acreditava que muitos seriam votos válidos. Quando pediu a recontagem, a coligação PCP/Verdes admitia que a verificação desse mais votos às outras candidaturas, mas o caso da CDU era diferente: só precisava mesmo de cinco votos. Este facto fez com que a assembleia de apuramento geral dos resultados se transformasse num momento decisivo do pós-eleições regionais.



Este domingo, o PSD tinha celebrado a conquista da 11ª maioria absoluta nas eleições regionais da Madeira, mas apenas por um deputado. A derrota mais pesada pertenceu ao PS, que tentou reeditar a coligação das autárquicas, mas acabou por eleger apenas seis deputados , tantos como os socialistas conseguiram em 2011, um desastre que, na altura, foi histórico. Desta vez, com a coligação Mudança - juntava PS, PTP, PAN e MPT -, o PS elegeu apenas cinco deputados. O sexto é do PTP de José Manuel Coelho. Victor Freitas, que insistiu sempre na vitória, apresentou a demissão da presidência do PS. 

O JPP, o partido que nasceu de um movimento de cidadãos e legalizado em janeiro, foi a grande novidade das eleições - conquistou cinco deputados. Em Santa Cruz, o concelho onde nasceu o partido e o segundo mais populoso da Madeira, o JPP bateu-se em votos e percentagem com o PSD. O líder, Elvio Sousa, é arqueólogo e o partido mantém o espírito do movimento de cidadãos que ganhou a Câmara de Santa Cruz.