Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

Política

Portugal já admite Guiné-Equatorial na CPLP

  • 333

O secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros, Luis Campos Ferreria, abordou a questão num colóquio em Lisboa

A antiga colónia espanhola em África, que pediu a adesão à Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) em 2010, e que viu a sua pretensão recusada em grande parte devido à resistência de Lisboa, pode vir a ser este ano admitida na organização, por ocasião da cimeira de Julho, em Díli.

O Governo português admite agora uma posição de "apoio empenhado e construtivo"' ao processo, tal como foi afirmado pelo secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação.

Luis Campos Ferreira fez estas declarações numa intervenção num colóquio sobre o tema em Lisboa, em dezembro.

Esta mudança de estratégia do Governo face à entrada na CPLP de um país considerado como uma das piores ditaduras africanas, deve-se à posição dos seus parceiros na organização, mais favoráveis à adesão, mas é ressalvada pela condição da Guiné-Equatorial dar sinais inequívocos de abertura e empenhamento no cumprimento do programa de ação a que se comprometeu com a CPLP.

Leia mais na edição deste sábado do Expresso.